Home > Notícias

Era dos leitores de CD e DVD está perto do fim, diz Lenovo

Para executivo da fabricante, falta pouco para que drives ópticos tenham o mesmo destino dos leitores de disquete; nuvem e memória Flash são a nova onda.

IDG News Service

15/11/2010 às 9h44

Foto:

A tecnologia está sempre mudando. Objetos se tornam arcaicos ao longo de poucos anos. Atualmente, não armazenamos mais arquivos em disquetes de 5,25" ou 3,5", como também não são mais populares os saudosos aparelhos de videocassete, walkmans e vitrolas. Diante dessa constante mudança, uma nova tecnologia pode estar com os seus dias contados: as unidades de disco óptico. 

Há anos esse recurso - padrão em muitos PCs e notebooks - tem sido utilizado para instalar softwares, digitalizar coleções de música, fazer back-ups de fotos ou transferir vídeos caseiros para um DVD. 

No entanto, segundo Chetan Joshi, executivo da fabricante Lenovo, a demanda de seus clientes por tais recursos está cada vez menor, sendo apenas uma questão de tempo até eles seguirem o mesmo caminho dos disquetes. 

"Definitivamente, é possível afirmar, com total segurança, que o uso de unidades de disco óptico será suplantado pelo de ferramentas de armazenamento em nuvem ou por tablets", disse Joshi. "Nosso objetivo é que as próximas gerações de aparelhos portáteis sejam ultrafinos e leves, e, como parte deste avanço, será inevitável que os drivers de CD caiam em desuso."

Uma série de fatores está contribuindo para esta tendência, completou o executivo. "Os preços das mídias em Flash estão caindo rapidamentente, tornando cartões de memória e unidades externas de back-up não só uma alternativa mais barata, como também mais rápida", analisou ele. 

Respostas rápidas
"Nós somos uma geração que deseja respostas rápidas e instantâneas e as unidades de Flash nos proporcionam isso. Leva muito tempo para gravar um CD", declarou ele. "Além disso, [a memória Flash] oferece opções de segurança e criptografia", complementou ele. 

Por outro lado, nem todos estão otimistas sobre a "morte" do drive óptico. O analista sênior de computação pessoal da empresa de pesquisas de mercado IDC Canadá, Tim Brunt, declarou que em alguns casos as unidades ainda serão úteis.

"Eu não acho que ela seguirá o mesmo caminho dos disquetes porque existem bons motivos para se ter uma unidade óptica. No futuro, ela será uma unidade externa, provavelmente, se comunicando ao notebook ou PC via conexão USB", analisou Brunt.

"Discos Blu-Ray, CDs e DVDs ainda são o padrão de back-up e a maioria dos softwares no varejo ainda utiliza esses recursos", observou Brunt.  

Segundo um estudo da IDC Canada realizado em 2009, 27% dos entrevistados citaram que uma unidade óptica era um recurso importante em um computador portátil. Já este ano, o índice caiu para apenas 17%. 

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail