Home > Notícias

Eric Schmidt admite que Google Glass pode ser ‘estranho’ e ‘inapropriado’

Presidente Executivo da Google quer discussão sobre privacidade e etiqueta digital, porque os óculos permitem tirar fotos ou encontrar informações sobre alguém secretamente

Sharon Gaudin, Computerworld / EUA

26/04/2013 às 16h54

Foto:

O presidente executivo do Google, Eric Schmidt, reconheceu na quinta-feira (25) que o uso do Glass pode ser, às vezes, um pouco "estranho" e "inapropriado".

Durante uma apresentação na Kennedy School of Government da Universidade de Harvard, Schmidt contou como é usar o Glass e as mudanças que a adoção do gadget podem provocar na etiqueta digital. As informações são da Reuters.

Ele observou, por exemplo, que os óculos podem ser usados para tirar fotos, gravar vídeos ou até mesmo exibir e-mails, bastando manipular o dispositivo por meio de toque, gesto ou comando de voz. Mas ele afirmou que falar em voz alta para o Glass é "a coisa mais estranha".

Repetindo algo que disse no início dessa semana, Schmidt ressaltou que é preciso haver uma nova discussão sobre privacidade e etiqueta digital, devido aos usuários do gadget poderem tirar fotos, gravar vídeos ou encontrar informações sobre alguém secretamente. "Existem, obviamente, lugares onde o Glass é inadequado", disse.

Em entrevista à BBC no início da semana, Schmidt admitiu que a tecnologia tem gerado uma série de discussões, apesar do fato de que o gadget não será lançado oficialmente ao público dentro de um ano aproximadamente. "Acabamos de começar a distribuí-lo para os primeiros desenvolvedores", disse o executivo a um repórter da emissora inglesa. "Seria justo dizer que haverá milhares destes em uso por desenvolvedores
ao longo dos próximos meses. Então com base no seu feedback, faremos algumas mudanças no produto, e ele estará provavelmente a um ano
de distância."

Na quinta-feira, a IMS Research relatou que o mercado de óculos inteligentes em todo o mundo, em média, incluindo o Glass, pode atingir 9,4 milhões de unidades vendidas até 2016.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail