Home > Notícias

Especialistas analisam recorde financeiro da Apple

Ótima estreia do iPad, que vendeu mais de 3 milhões de unidades, aliada às fortes vendas do iPhone e de Macs, são algumas das razões apontadas.

Macworld / Reino Unido

21/07/2010 às 18h25

Foto:

Pela terceira vez em quatro semestres a Apple informou que vendeu um número recorde de Macs, apesar da pequena queda nas vendas do iPhone. O iPad, enquanto isso, debutou no balanço da Apple com 3,27 milhões de unidades vendidas, gerando 2,17 bilhões de dólares em receita que representaram quase 14% do rendimento total da companhia no terceiro trimestre fiscal de 2010.

“Isso saiu do nada”, informa Brian Marshall, um analista da Gleacher & Company, sobre os números do iPad. “Fenomenal.”

No geral, a companhia divulgou um recorde de receitas gerais de 15,7 bilhões de dólares no trimestre, com um lucro de 3,25 bilhões de dólares. As receitas subiram 61% em comparação ao mesmo período no ano passado.

“As receitas foram impulsionadas principalmente pelo iPad, com vendas fortes do iPhone e do Mac”, informou o CFO da Apple, Peter Oppenheimer, durante a conferência para anúncio dos números trimestrais ontem, 20/7.

Marshall concordou, dizendo que as fortes vendas de Mac e iPhone, combinadas com a excelente estreia do iPad, produziram o trimestre recorde.

As vendas do iPad não foram uma surpresa: no final de junho, a Apple anunciou que tinha comercializado 3 milhões de tablets nos 80 primeiros dias de venda. A companhia está vendendo uma média de 1,1 milhão de iPads por mês, de acordo com os números da empresa, dando uma possível projeção de quase 10 milhões de tablets vendidos ao final do ano.

ipad390b

Com 3,27 milhões de unidades vendidas, iPad foi uma "surpresa agradável" para a Apple.

No trimestre que se encerrou em 26 de junho, a Apple vendeu 8,4 milhões de iPhones, número 4% abaixo dos 8,75 milhões de aparelhos vendidos no primeiro trimestre deste ano, 61% acima do mesmo período no ano passado. As vendas de Macs, no entanto, registraram um recorde de 3,47 milhões de unidade, 33% maiores do que o mesmo trimestre em 2009 e superando a melhor marca até então, de 3,36 milhões de unidades comercializadas no quarto trimestre do último ano.

“O Mac está muito saudável”, disse uma analista da Technology Business Research, Ezra Gottheil. “Esse era um setor com o qual eles estavam preocupados, mas está parecendo muito bom. Ainda está longe e distante de onde era o seu APS (preço médio de venda), mas eles não precisam mais gerar uma grande parte dos seus lucros nos Macs.”

As vendas de Macs desktop cresceram 18% em relação ao ano passado, uma taxa de crescimento significativamente menor do que os 40% de aumento do trimestre passado e da escalada de 70% do trimestre final de 2009. A Apple explicou a queda como parte de um ciclo de renovação; o principal desktop da companhia, o iMac, não é renovado desde outubro de 2009.

As vendas de notebook cresceram 41% no trimestre com 2,46 milhões de unidades comercializadas, um aumento dramaticamente maior do que os 28% de crescimento no trimestre anterior. “Há um claro movimento rumo à mobilidade”, diz Tim Cook, COO da Apple.

Os executivos da Apple pareciam realmente surpresos com o sucesso do iPad, que os analistas haviam previsto que venderia menos unidades no ano do que a Apple afirma ter vendido em apenas um trimestre. “Nós fomos agradavelmente surpreendidos em como esse produto foi rapidamente aceito”, diz Cook, que adicionou que a Apple estava “vendendo todas as unidades (de iPad) que podíamos fabricar”, após um analista perguntar quando a companhia iria equilibrar demanda e fornecimento.

Os pedidos de iPad atualmente possuem um prazo de 10 dias úteis de espera na loja online da Apple, e o abastecimento deve ficar ainda mais complicado; a companhia planeja lançar o tablet em mais nove países nesta sexta-feira, 23/7 .

O sucesso do iPad forçou diversas firmas de pesquisa a revisarem suas estimativas de vendas tanto para o tablet da Apple como para tablets parecidos de uma forma geral.

“A Apple agora é uma companhia de quatro produtos, isso está muito claro”, disse Gottheil, em referência as linhas iPhone, Mac, iPod e ao recém-lançado iPad.

Gottheil também viu a confirmação, com os números de ontem, de que o iPad não, ao menos ainda não, tirou dinheiro da própria Apple. “Canibalização não é um grande problema para a Apple, certamente, ou para nenhum outro interessado”, disse. “À medida que os preços dos aparelhos diminuem, é mais uma questão das pessoas possuírem mais aparelho, não de precisar decidir por apenas um.”

Cook também se negou a falar em canibalização, afirmando em determinado momento que era “muito cedo para falar” se o iPad estava roubando vendas de iPod Touches ou notebooks Mac. Depois, ele disse que se isso acontecer, serão boas notícias para a Apple na verdade.

“É aí que é ótimo ter uma participação menor, porque se no fim das contas o iPad canibalizar PCs, acho que é fantástico para a gente”, disse Cook. “Existem muitos PCs para canibalizar.”

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail