Home > Notícias

EUA enviam lixo eletrônico contaminado para países em desenvolvimento

Relatório informa que país viola regras da Agência de Proteção Ambiental ao descartar produtos para países em desenvolvimento.

IDG News Service/ EUA

18/09/2008 às 10h46

Foto:

Empresas de reciclagem dos Estados Unidos estão enviando eletrônicos com substâncias tóxicas a outros países, sem preocupação em seguir regras e proteger pessoas e o meio ambiente, diz relatório do U.S. Government Accountability Office (GAO).

Segundo as regras da Agência de Proteção Ambiental (EPA) do país, só é permitida a exportação de monitores CRT (do inglês cathode ray tube), e não outros equipamentos com o sistema.

Mais sobre lixo eletrônico:


> Lixo cabe em trem que dá volta ao mundo

> Brasil não tem estrutura para lixo eletrônico

> Quais são as soluções possíveis?

> Lugares para descartar eletrônicos
> Fotos: lixões pelo mundo
> Veja produtos verdes
> Conheça o homem de lixo

Os eletrônicos com a tecnologia CRT contém quase 2 quilos de elementos tóxicos, segundo o relatório. Segundo a EPA, foram iniciadas 20 investigações, nos últimos 18 meses, em busca de violações das regras relacionadas à exportação de equipamentos CRT.

“Algumas empresas dos EUA estão exportando estes itens a países em desenvolvimento, onde práticas inseguras de reciclagem causarão problemas ambientais e de saúde”, afirma o estudo.

A EPA defendeu, em uma carta, que há um exagero em relatos do problema, já que mais de 80% de eletrônicos descartados ficam nos EUA. “Estamos preocupados que os leitores da pesquisa sejam levados a
acreditar que uma grande porcentagem de lixo eletrônico dos EUA está
sendo reciclado e reutilizado globalmente”, disse a EPA.

Mas só em Hong Kong, desde janeiro de 2007, foram interceptados 26
contêineres de equipamentos exportados ilegalmente.  Em março, 441
monitores CRT descarregados em Hong Kong foram enviados de volta aos
EUA. O Greenpeace interceptou, em junho, mais lixo eletrônico vindo do país.
++++
O GAO notou ainda que 20% de eletrônicos descartados pelos norte-americanos equivalem a 66 milhões de dispositivos enviados a outros países anualmente.

A EPA defendeu mais uma vez seu controle da situação lembrando que, em julho, processou a empresa de reciclagem Jet Ocean Technologies, da Califórnia, com multa de 32.500 dólares, por não oferecer dados sobre uma exportação de produtos CRT.

Em meio à polêmica, o democrata californiano Mike Thompson pediu que o Congresso aprove uma legislação que crie um padrão nacional para reciclagem e exportação de eletrônicos. “Não podemos enviar produtos para fora do país e fingir que isso não acontece”, diz.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail