Home > Notícias

Europa: Microsoft vai abrir três novos centros de pesquisa em buscas

Diante da dúvida se instalaria seu centro europeu de pesquisa em buscas na França, Alemanha ou Reino Unido, MS optou pelos três.

IDG News Service/França

02/10/2008 às 17h35

Foto:

A Microsoft havia dado como certo que iria escolher um desses três países para implantar um centro de pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias de busca.

No entando, o CEO da companhia Steve Ballmer durante um evento em Paris nesta quinta-feira (02/10) disse que a empresa conduzirá a pesquisa em Londres, Munique e nos arredores de Paris a fim de estar mais perto dos clientes e atrair os melhores profissionais.

Ballmer foi modesto sobre quanto a empresa gastará nos novos centros de pesquisa, dizendo apenas que irá recrutar centezas de engenheiros para trabalhar neles.

Isso aumentará significativamente o número de pesquisadores que a Microsoft emprega na Europa. Hoje são dois mil em 40 escritórios pelos 19 países membros da União Européia, disse Jean-Philippe Courtois, presidente da Microsoft International. A Europa se tornará a maior concentração de pesquisadores fora dos Estados Unidos, à frente da China, onde a Microsoft abriu seu primeiro centro de pesquisa tecnológica há dois anos.

A companhia já possui algumas pesquisas em desenvolvimento na Europa, ativadas após a aquisição da empresa de pesquisa corporativa Fast Search And Transfer por 1,2 bilhão de dólares em Janeiro e o serviço de comparação de preços Ciao por 486 milhões de dólares em agosto.

Desde que a Microsoft abandonou o plano de adquirir o Yahoo por cerca de 45 bilhões de dólares para aumentar sua participação no mercado de publicidade em busca, a empresa tem procurado outros modos de atrair mais usuários aos seus sites de busca. Sua estratégia inclui aquisições menores, investir em pesquisa de tecnologia e até mesmo pagar para usuários visitarem os sites por meio de programas como o Live Search cashback ou o programa de fidelidade anunciado nesta semana SearchPerks.
++++
Christine Largarde, Ministra de Economia, Indústria e Emprego da França, também discursou no evento. Ballmer mencionou que ela reorganizou sua agenda para participar. Ela disse que a companhia seria beneficiada por incentivos fiscais entre 30 e 50% de seus investimentos na França.

"A taxa de crédito é ótima", disse Ballmer acrescentando que a Microsoft investiria na Europa mesmo sem o incentivo. "Estamos investindo para que possamos entregar aos consumidores europeus a melhor experiência de busca que conhecemos".

Jordi Ribas, gerente geral do grupo de negócios conectados à TV da Microsoft irá liderar o centro descentralizado de pesquisa. Este ano, ele pretende se concentrar no recrutamento de dois níveis de gerenciamento, muitos deles internamente, e já tem seu primeiro nome: Andreas Bode, um especialista em máquinas que sairá do laboratório da Microsoft em Redmond para a Alemanha.

Depois das contratações de gerentes, Ribas começará a recrutar os pesquisadores - centenas serão contratados nos próximos três a cinco anos.

Quase um terço dos esforços de pesquisa serão voltados para melhorar a experiência e a relevância global dos resultados de busca, com dois terços do trabalho dedicados a otimizar buscas em língua local e questões culturais, disse Ribas. O equilíbrio pode mudar, assim como os números das equipes nos três escritórios.

"Ainda não está claro se haverá mais pessoas na França, no Reino Unido ou na Alemanha", disse ele.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail