Home > Notícias

Ex-funcionário processa a Apple por violar código trabalhista

Ex-engenheiro de rede da Apple, que trabalhou na empresa de 1995 a 2007, alega que trabalhava mais de 40 horas por semana sem compensação.

Macworld/EUA

06/08/2008 às 9h19

Foto:

David Walsh, engenheiro de rede que trabalhou na Apple de 1995 a 2007, está processando a companhia por violar as leis de trabalho da Califórnia.

Registrada nos Estados Unidos, no Distrito do Sul da Califórnia, a queixa alega que funcionários tinham que trabalhar mais do que 40 horas por semana ou oito horas por dia. O processo do ex-funcionário da Apple disse que a empresa se negava a oferecer compensações pelo trabalho.

>>>Leia também: 
Psystar contrata defesa que já venceu a Apple
Clones de Mac estão na mira da justiça
Apple terá dificuldades para driblar 'clone do Mac'

Walsh alega que a Apple criou diversos níveis de trabalho e por isso pode se eximir de pagar horas extras. Um exemplo é o uso do “Sênior” antes do título “engenheiro de rede”, apesar de todos os engenheiros de rede executarem as mesmas atividades.

O plantão de engenheiros de rede também foi uma questão apontada por Walsh. Seus plantões duravam sete dias, todas as seis semanas - durante este tempo ele permanecia todas as noites sem uma compensação adicional.

O processo procura se tornar uma ação de classe, o que permitiria que qualquer funcionário, durante o período, aderisse à ação judicial.
 
Walsh também pede compensação por danos, restituição de uma hora de pagamento para cada dia de trabalho sem período de refeição e julgamento por perdas e danos, danos do estatuto e custos legais.

A Apple não se pronunciou sobre o tema.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail