Home > Notícias

Falha no Orkut irrita usuários no Brasil; conheça algumas reações

Manutenção não programada no Orkut deixou milhões de usuários brasileiros sem acesso à rede; leia depoimentos dos usuários.

Guilherme Felitti, editor-assistente do IDG Now!

22/07/2008 às 18h23

Foto:

"Parece que brasileiros estão comentando suicídio em massa porque não conseguem acessar o Orkut".

A frase, dita em tom de brincadeira pelo usuário Atsunori A. na madrugada desta terça-feira (22/07), parte de um exagero para sintetizar um sentimento comum de muitos inscritos da rede social do Google que ficaram sem acesso pela manutenção urgente feita pela buscador no dia anterior.

Mais sobre o Orkut no Brasil
> Entenda as razões do sucesso do Orkut
> OpenSocial chega, finalmente, aos brasileirosX
> Confira 15 aplicativos do OpenSocial
> Usuários reclamam de trocas de contas

Nas quase nove horas que o Orkut ficou fora do ar exclusivamente para brasileiros (o Google confirma que indianos não sofreram o problema), a reação da massa de usuários da rede social, facilmente medida pela ferramenta de busca do Twitter, beirou a histeria.

Horas depois de o Google Brasil vir a público explicar a causa do motivo e garantir que todos os perfis de todos os usuários da rede social serão normalizados em até 36 horas, o IDG Now! recebeu reclamações de usuários que ainda enfrentam problemas de acesso ou se sentiram atingidos pelo blecaute do Orkut.

"Acessei minha conta e já não era mais o mesmo avô quase sessentão de São Paulo: recomecei quase quarenta anos, residia em Porto Alegre e era um lindo homossexual louro", conta Edu Funicelli, paulistano de 59 anos, afirmando ter se divertido com as comunidades do seu "novo perfil" junto à sua esposa.

Nem todos levaram a pane no Orkut tão na brincadeira como Funicelli.
++++
"Quando notei que estava fora do ar me senti preocupado, pois estava realizando a inscrição para um amigo que estava um tanto ansioso para utilizar o serviço. Até pensei estar sendo vítima de um phishing", conta o técnico em informática Tomás Paula.

Logo após criar a conta, Tomás afirmou ter ficado nervoso "pois estava sendo direcionado para a conta de um sujeito na Índia com acesso à todos os seus dados, situação um tanto complicada até mesmo pelo aspecto legal".

Sua descrição bate com a justificativa oficial do Google Brasil, que alegou que a manutenção não agendada do Orkut tinha relação com problemas no gerenciamento de novas contas - sempre que uma nova era criada, o sistema dava acesso a outra já criada, o que ocasionou a troca de perfis reportada pelos usuários.

A reclamação de Tomás ganha corpo com a incidência de casos semelhantes reportados por usuários no Twitter pouco antes do Google Brasil tirar o Orkut do ar nesta segunda-feira (21/07), perto das 18hs, "para verificar a integridade dos dados", segundo a companhia.

"Meu nome agora é Valdeisa", reclamava Lúcio Leonardo, enquanto Chiara Martini defendia que não era Elisangela Cacau e Sanna Rodrigues explicava sua transformação em um "Antônio sei lá o que da Espanha".

O acesso tanto a informações confidenciais como à conta do usuário para publicação de mensagens em seu nome, evidentemente, dependiam da malícia daquele que ganha acesso ao perfil alheio, o que ocasionou, principalmente, edições de dados pessoais e recados mal educados.

"É normal que a empresa tenha de fazer manutenção de vez em quando. Só o que me chateou foi o comprometimento da falha com os usuários, (já que) o 'novo' usuário cadastrado em cima do meu agiu de má fé, falando imoralidade às pessoas", reclama Hélio Mokarzel, cujo perfil teve recados seus apagados e mandando outros para seus contatos em seu nome.
++++
O Google Brasil afirmou que recorrerá a um backup da rede social para fazer com que qualquer alteração feita em decorrência da falha seja revertida em um prazo de 36 horas.

Como foi alvo da ação maliciosa de usuários, a conta de Mokarzel ainda não está disponível para acesso, embora seu nome e país de origem já tenham sido ajustados.

Questionada sobre supostas falhas de segurança em aplicativos do OpenSocial, que estreou oficialmente no Brasil em 10 de julho e foi alvo de invasões quando o Google anunciou a plataforma, a operação nacional do buscador descartou possíveis envolvimentos com inacessibilidade do Orkut.

Serviços de medição online dão uma amostra mais visual do que foi a explosão na procura por informações do Orkut durante o começo da noite e madrugada desta segunda.

Segundo o BlogPulse, da Nielsen BuzzMetrics, o termo "Orkut" foi responsável por quase 0,07% de todas as mensagens do Twitter, quando normalmente a cifra não passa dos 0,05%.

Pelo Twitscoop, a incidência do termo no Twitter atingiu 12, segundo os critérios do serviço, quando não costumava passar de 3 em dias normais.

Entre o volume de mensagens, desabafos (“que ódio do Orkut fora do ar. Credo, eu sou muito dependente dessa m****”), boatos infundados (“parece que o Orkut vai ficar fora do ar por 180 dias ou até sábado!”) e piadas pelo blecaute (“O mundo tá acabando. Primeiro a Dercy, agora o Orkut, corram para as colinas”).
++++
Entre os diferentes níveis de histeria, o blecaute deixou claro que, ainda que redes rivais como o MySpace venham ganhando participação no mercado nacional, como confirma o Ibope//NetRatings, o Orkut ainda merece a definição de fenômeno digital brasileiro.

“Como bom usuário do Orkut desde 2005, senti como se eu não pudesse resolver alguns ‘problemas’”, define bem o sentimento de milhares de internautas brasileiros na noite desta segunda o estudante Felipe Souza. Parafraseando o clichê da propaganda televisiva, "seus problemas acabaram - seu antigo problema está de volta".

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail