Home > Notícias

Fraude em massa em anúncios na Internet é descoberta pela Microsoft

“Lavagem de cliques” turbina o número de visitas a banners e engana anunciantes; Google não quis falar sobre o tema.

IDG News Service/EUA

20/05/2010 às 8h10

Foto:

A Microsoft descobriu um novo tipo de fraude na Internet relacionada a cliques em sites, o que levou a empresa a entrar com dois processos contra golpistas.

Em um dos processos, iniciado em Washington, nos Estados Unidos, a empresa acusa o site RedOrbit.com e seu presidente, Eric Ralls, de usar um esquema de “lavagem de cliques”, termo que a Microsoft utiliza para descrever uma nova forma de turbinar o número de acessos a anúncios online.

"O que achávamos ser quase impossível de ser feito até então, descobrimos que já é feito pelos criminosos”, explica o advogado da unidade de crimes digitais da Microsoft, Richard Boscovich.


Segundo a Microsoft, a RedOrbit utilizava a rede AdCenter para, com o uso de botnets (redes de PCs zumbis controladas por criminosos da Internet) e sites adulterados, incrementar em milhares de vezes o número de cliques em anúncios da RedOrbit.

Porém, em vez de simplesmente usar as botnets e sites para gerar tráfego diretamente para os banners, como os golpistas costumam fazer, a empresa direcionou esse fluxo para seus servidores, onde “camuflou” a origem e fez com que esse tráfego parecesse legítimo. “É a primeira vez que vemos esse tipo de coisa acontecer”, diz Boscovich.

A Microsoft começou a investigar a fraude em 2009, quando notou números anabolizados na RedOrbit.com, que saltou de uma média de cliques de 75 por dia para 10 mil.

Em outro processo, na mesma Corte, a Microsoft processa 20 pessoas por conta de fraudes em sites gerenciados pela HelloMetro. A iniciativa também está relacionada a fraudes sobre publicidade online, problema que não fica restrito apenas a esses dois casos, claro.

Segundo a Microsoft, se as empresas que fornecem publicidade online não tomarem uma providência, os anunciantes perderão a confiança nesse modelo de negócio. “Temos que  tomar medidas agressivas para parar a fraude na publicidade online”, afirma Brad Smith, consultor da Microsoft para a área.

Embora Smith cite a necessidade de as empresas trabalharem juntas nesse combate, a Microsoft não deu sinais de que vai procurar o Google, que opera a maior plataforma de anúncios online, ou outros competidores para falar sobre o tema. Procurado para falar sobre as fraudes na publicidade na Internet, o Google preferiu não se manifestar sobre o caso.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail