Home > Notícias

Fraudes: Internauta inglês desprotegido perde em média US$ 21 dólares

Metade dos internautas entrevistados no Reino Unido não atualizam antivírus, dando brecha a fraudes online, diz Get Safe Online.

PC Advisor/Reino Unido

17/11/2008 às 16h44

Foto:

Cada internauta britânico vale, em média, 14.500 libras, cerca de 21.619 dólares, para um criminoso virtual, afirma pesquisa da Get Safe Online. Esta é uma média de quanto dinheiro um cracker consegue por meio de fraudes online, acessando contas bancárias e cartões de crédito.

De acordo com o relatório 2008 Get Safe Online Report, 85% dos usuários de internet do Reino Unido têm softwares antivírus, mas 48% não os mantêm suficientemente atualizados para ter certeza de que ele continua eficiente. O relatório também revelou que 47% não têm software de autentificação contra phishings e 19% admitiram usar a mesma senha para todos os sites, aumentando gravemente o risco de ataques de phishing.

O relatório também destacou que os ataques de phishing aumentaram, com 23% dos entrevistados admitindo que já foram vítimas ou conhecem alguém que já caiu em algum ataque este ano, comparado a apenas 8% no ano passado.

"Estamos incentivando fortemente mais pessoas a ficarem online, mas ao fazê-lo, ter certeza que elas estão a salvo e seguras. Queremos chamar a atenção para o fato de que a atividade criminosa online pode ser um negócio sofisticado, mas que cada um de nós pode tomar medidas de presenção", disse Tony Neate, diretor da GetSafeOnline.org.

Nick Staib, diretor da GetSafeOnline.org e gerente sênior do HSBC acrescentou: "Se uma reputação financeira for comprometida por roubo de identidade, isso poderia ter um impacto na capacidade de obter crédito ou emprestar dinheiro no futuro. Mesmo com uma explicação em seu registro de crédito, você pode ser visto como cliente de alto risco".

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail