Home > Notícias

Fundador do WikiLeaks é preso em Londres

Julian Assange, 39 anos, é investigado por infrações como coerção, abuso sexual e estupro.

IDG News Service

07/12/2010 às 9h08

Foto:

O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, foi detido nesta terça-feira (7/12) após se entregar  voluntariamente às autoridades locais, comunicou a Polícia Metropolitana de Londres. 

Na lista de acusações contra Assange, estão os crimes de coerção, abuso sexual e estupro de duas mulheres na Suécia. Assange, de 39 anos, estava sendo procurado após a Suécia emitir contra ele um mandado de prisão internacional. Segundo comunicado da polícia londrina, o fundador do WikiLeaks responderá na Suécia pelas quatro acusações, que Assange nega.

O mandado de prisão para Assange foi expedido em 18 de novembro, mas a ação foi invalidada por um erro processual. Um novo mandado foi emitido em 2 de dezembro.

Ele foi preso pela unidade de extradição da Polícia Metropolitana por volta das 9h30 GMT (7h30 no horário de Brasília) e deve comparecer ainda hoje ao tribunal Westminster, no centro de Londres.

WikiLeaks

Fundado em 2006, o  WikiLeaks se notabilizou por divulgar informações confidenciais de teor político, econômico e militar, que chegaram a complicar as relações diplomáticas entre  países

Julho de 2010. O WikiLeaks publica Diários de Guerra do Afeganistão - uma coleção de 91 mil relatórios com detalhes sobre a operação dos Estados Unidos e da OTAN no Afeganistão.

Antes disso, o site distribuiu o Diário da Guerra a três jornais: The New York Times (EUA), The Guardian(Reino Unido) e ao magazine alemão, Der Spiegel.

Outubro deste ano. Ele distribuiu a maior coleção de documentos militares vazados da história, como mais de 391 mil relatórios, chamados de Iraq War Logs, sobre a  guerra e a ocupação no Iraque. O conteúdo inclui informações sobre operações entre 1º de janeiro de 2004 e 31 de dezembro de 2009. 

Novembro 2010. O site começa a publicar documentos diplomáticos de um acervo de mais de 250 mil mensagens. O grupo forneceu o conteúdo completo a diversos jornais, mas vem liberando os documentos ao público em doses homeopáticas no site cablegate.wikileaks.org. 

Ajuda da comunidade web

Na última semana, o WikiLeaks pediu à comunidade Web para abrir sites espelho, evitando assim que o conteúdo pudesse ser derrubado ou censurado. Resultado: nesta terça-feira (06/12) mais de 700 novos sites já estavam no ar, número que continua a crescer.

Essas informações foram divulgadas publicadas pelo próprio site na página http://213.251.145.96/mirrors.html, com uma listagem de todos os endereços.

Nessa segunda-feira (6/12), o banco postal suíço PostFinance e a administradora de cartão de crédito usados pelo   administrador do serviço, cancelaram as contas, bloquearam e confiscaram os créditos.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail