Home > Notícias

Game para iPhone é vetado nas App Stores do Brasil e da China

Segundo o desenvolvedor Marc Schomerous, a unidade da empresa na Alemanha afirmou que "se o aplicativo (um quebra-cabeça) não é oferecido nas lojas online da Apple nesses países, é porque entra em conflito com as leis locais"

Macworld/Reino Unido

25/09/2009 às 14h19

Foto:

O desenvolver Marc Schomerus, que possui 17 programas para iPhones e iPods touch disponíveis na App Store, afirma ter recebido uma resposta pouco esclarecedora para o veto a seu aplicativo em versões regionais da App Store (a loja online de aplicativos da Apple).

Segundo ele, recentemente um de seus jogos, o Slideshot, que havia ficado entre os 100 mais baixados da loja de aplicativos da Apple em várias partes do mundo, foi vetado na App Store no Brasil e na China.

Intrigado com o fato, Schomerus entrou em contato com a filial da Apple na Alemanha para saber o motivo que impedia a liberação desse quebra-cabeça para as App Stores de outros países. De acordo com ele,  no começo desta semana um representante da Apple ligou para ele e explicou que "se o aplicativo não estava mais sendo oferecido nas lojas desses países, é porque fere as leis locais".

"Ele só não soube explicar como um simples quebra-cabeça fere as leis desses países", conta o desenvolvedor, que afirma  não ter recebido informações da Apple sobre como solucionar a questão. "Se é uma lei, não é nenhum segredo, certo?", pergunta o desenvolvedor.

slideshotx480a.jpg

Slideshot está disponível para download em duas versões, mas não no Brasil ou na China

No caso do App Store brasileira, a questão parece ser simples. Os games são vetados porque a legislação do País exige a classificação etária dos jogos, processo que é controlado pelo Ministério da Justiça. Por conta disso, a maioria dos games não é oferecida na loja brasileira da Apple, já que os desenvolvedores internacionais não submetem o aplicativo ao crivo da classificação local.

Para driblar essa questão, vários desenvolvedores simplesmente classificam seus joguinhos não como games, mas sim como um programa de "entretenimento", o que torna o acesso possível do Brasil. E alguns fãs de jogos no Brasil criam contas na loja americana da Apple e conseguem baixar os títulos que não são oferecidos no País.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail