Home > Notícias

Governo inglês rejeita pedidos para abandonar o IE6

Petição solicitava que repartições deixassem de usar o velho browser. Governo afirma que IE6 ajuda a economizar dinheiro público.

Computerworld/EUA

04/08/2010 às 15h28

Foto:

O governo britânico rejeitou um pedido para abandonar o navegador
Internet Explorer 6, da Microsoft, sob o argumento de que seu uso colabora para
economizar dinheiro público.

No fim da semana passada, o Governo de Sua Majestade
respondeu oficialmente a uma petição cidadã que solicitava um “encorajamento
dos departamentos do governo para atualizar seus navegadores, livrando-se do
Internet Explorer 6”. Segundo a petição, a medida se justificaria porque o
velho browser é vulnerável a ataques e exige ajustes específicos dos
desenvolvedores de sites.

A petição foi registrada no site de petições online do
governo em fevereiro de 2010 por Dan Frydman, diretor-gerente da Inigo Media,
uma empresa de design web da Escócia.

O IE6 não será abandonado, justificou o governo, por
diversas razões, que variam dos custos de migração à opinião de que, com os
patches, o navegador mantém a segurança dos usuários.

“Softwares complexos sempre terão vulnerabilidades;
adversários motivados sempre se esforçarão para descobri-los e tirar vantagem
deles”, afirmou o governo, em declaração. “Não há evidência de que, ao abandonar
o Internet Explorer e instalar outros browsers, os usuários estariam mais
seguros. A atualização regular de softwares ajuda a defender contra as últimas
ameaças.”

Cabelo em pé
A posição pode ter deixado algumas pessoas na Microsoft de
cabelo em pé, já que a empresa tem conduzido há mais de um ano uma campanha
para convencer internautas
a migrar do IE6 para o IE8. Para a empresa, a última
versão do navegador é mais segura por causa de recursos como o bloqueio de
malwares e o uso de uma técnica conhecida como ‘caixa de areia’, presente no
Vista e no Windows 7.

A crença do governo britânico nas atualizações também cai
por terra quando confrontada com os ataques de dia zero. No fim de 2009, por
exemplo, hackers apontaram deliberadamente para PCs com Windows XP e Internet
Explorer 6 para roubar informações confidenciais da Google e diversas outras
grandes empresas de tecnologia.

De acordo com a empresa de métricas web NetApplications, o
IE6 respondia em julho por 17% de todos os browsers utilizados, mais que o IE7
(11,4%) e duas vezes mais que o Google Chrome (7,2%).

A Microsoft vai fornecer atualizações de segurança para o
IE6 até abril de 2014, data em que todas as formas de suporte para o Windows XP
serão interrompidas.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail