Home > Notícias

Governo quer metade do Brasil com banda larga até 2014

Plano Nacional de Banda Larga prevê rede federal de fibra óptica, conexões a 30 reais e melhor equilíbrio na cobertura nacional.

Redação do IDG Now!

24/11/2009 às 20h26

Foto:

O Plano Nacional de Banda Larga, apresentado pelo Ministério das Comunicações (Minicom) na terça-feira (24/11), pretende fazer com que metade dos domicílios brasileiros tenham conexões para acesso à internet em banda larga até 2014 explorando infraestrutura federal e incentivos para diminuir o preço de equipamentos e planos para o consumidor final.

O documento publicado no site do Minicom traça como principais objetivos do plano levar banda larga a 50% dos domicílios urbanos e 15% dos domicílios rurais nos próximos cinco anos. Até lá, o Governo também pretende cobrir com conexões todos os órgãos federais, unidades de saúde, bibliotecas e escolas, tanto nas cidades como no campo.

O projeto ainda prevê, no período, a construção de 100 mil novos telecentros federais espalhados pelo País e fazer com que 60 milhões de brasileiros tenham acesso a serviços de acesso móvel à internet.

O Minicom pretende também aumentar em dez vezes a velocidade mínima ofertada das conexões de banda larga, sem se comprometer, no entanto, com um número fixo relativo à velocidade.

Para atingir os números, o Minicom calcula que serão precisos investimentos na ordem de 75,5 bilhões de reais entre 2010 e 2014, sendo que a iniciativa privada, representada principalmente pelas operadoras, terá de desembolsar 49 bilhões de reais, sendo 18 bilhões de reais em banda larga fixa e 31 bilhões de reais no acesso à web móvel.

Os custos do Governo serão de cerca de 26,5 bilhões de reais, sendo que metade disto (12,6 bilhões de reais) diz respeito à isenção do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para que os planos de banda larga atinjam preço máximo de 30 reais, em projeto já em curso nos Estados de São Paulo e Pará, além do Distrito Federal.

Adiamento
O anúncio do Plano Nacional de Banda Larga foi adiado por três
semanas a pedido do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva.
O presidente esteve reunido na tarde desta terça-feira (24/11) para
discutir o assunto com representantes de diversos órgãos do governo
federal, mas quer mais detalhes sobre duas propostas apresentadas.

>> Entenda o Plano Nacional de Banda Larga

Participaram da reunião representantes dos seguintes órgãos:
ministérios da Ciência e Tecnologia, das Comunicações; Planejamento,
do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior; Educação; e Fazenda; além  da Advocacia da União e do comitê de Inclusão Digital do
Gabinete da Presidência da República e da Casa Civil.

Nenhum dos participantes falou com a imprensa após a reunião. Mais cedo, ainda durante o encontro, o Ministério das Comunicações divulgou a sua proposta no seu site.

>> Para saber mais sobre o tema, leia cobertura completa no IDG Now! 

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail