Home > Notícias

Grandes aeroportos modernizam infraestrutura das redes locais

Infraero implanta em Guarulhos(SP), Rio de Janeiro(RJ) e Salvador(BA) equipamentos da 3Com, que venceu licitação em 2008.

Redação do Computerworld

03/07/2009 às 7h55

Foto:

A Infraero está investindo na modernização dos sistemas de rede dos principais aeroportos do Brasil. Por meio de licitação realizada no segundo semestre de 2008, as redes dos aeroportos de Guarulhos (SP), Galeão (RJ) e Salvador (BA) passaram a utilizar backbone a 10 gigabits por segundo, em substituição às redes ATM.

O objetivo da iniciativa é atender a demanda crescente dos passageiros e concessionários, garantindo melhor desempenho e mais segurança àqueles que utilizam os serviços de comunicação de dados nos aeroportos, inclusive a rede sem fio.

A modernização tecnológica nos três aeroportos é uma continuidade dos investimentos que a Infraero vem realizando e complementa os projetos já realizados em aeroportos de grande demanda, como Congonhas (SP), Santos Dumont (SP) e Viracopos (SP).

Com a utilização dos dispositivos de rede da 3Com, a Infraero estima um aumento de até 100 vezes no desempenho de aplicações de dados, voz e vídeo, incluindo sistemas de informação de vôo, controle de tráfego aéreo, sistemas de vigilância e telefonia IP, tanto para a administração aeroportuária quanto para os passageiros e concessionários que atuam nos aeroportos.

O projeto é semelhante ao utilizado pela empresa no Aeroporto Internacional de Pequim, na China. As soluções H3C/3Com estão por trás do novo backbone Ethernet 10G usado para suportar operações de rotina do maior aeroporto do mundo, bem como serviços de gerenciamento e produção em tempo real, comando terrestre de emergência, transmissão para o terminal do aeroporto e apresentação de informações sobre voos.

“Durante o planejamento do projeto de rede no Brasil e na China, a 3Com interagiu com o cliente para atender as necessidades específicas de cada aeroporto. As soluções da 3Com permitirão que a Infraero disponibilize, de forma mais eficiente e flexível, novos serviços aos usuários”, ressalta Marcelo Naves, executivo de vendas da 3Com em Brasília.

No projeto de modernização da infraestrutura de rede dos aeroportos brasileiros, a Infraero está utilizando switches da família 8800 no core, além dos switches 5500G e 5500. “Além de preservar o investimento já realizado em soluções 3Com, outro fator decisivo nas definições tecnológicas da Infraero foi a necessidade de suportar soluções convergentes – telefonia IP, vídeo e monitoração, permitindo acesso ainda mais rápido e confiável”, complementa Naves.

Rede sem fio

Dentro do seu plano estratégico de investimentos em TI, outro projeto da Infraero é disponibilizar rede sem fio nos principais aeroportos do Brasil. Para a escolha do fabricante, o órgão aderiu à Ata de Registro de Preços da Procuradoria Geral da República, modalidade de compras do setor público que visa selecionar e registrar a proposta mais vantajosa para a administração realizar suas futuras contratações de bens e serviços de uso freqüente.

“Esta decisão foi baseada em uma criteriosa análise técnica, financeira e de adequação do projeto original à nossa necessidade, sendo que a opção pela solução 3Com se apresentou como a melhor nos três critérios”, explica Hércules Santos, Gerente de TI da Infraero.

A rede sem fio já está disponível em 11 aeroportos: Brasília (DF); Congonhas e Guarulhos (SP); Santos Dumont e Galeão (RJ); Confins (MG); Salvador (BA); Curitiba (PR); Porto Alegre (RS); Belém (PA) e Manaus (AM).

Com a padronização da rede sem fio, antes implementada por concessionários, a Infraero passa a ter maior controle sobre o uso e sobre a segurança da rede, provendo mobilidade a funcionários da instituição, concessionários e passageiros, permitindo redução de custos e maior eficiência na realização de suas funções.

Na primeira fase do projeto, são mais de 800 pontos distribuídos em 11 aeroportos. A previsão é de que outros 20 aeroportos recebam o mesmo benefício. As soluções implementadas se integram – de forma nativa - à plataforma de segurança para proteção de intrusos (IPS TippingPoint), já em uso, há dois anos, na Infraero, permitindo o desenvolvimento de uma política global de segurança de rede.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail