Home > Notícias

Grupo que atacou Visa e Mastercard em apoio ao Wikileaks divulga comunicado

Documento explica as motivações para os ataques aos sites da Visa e Mastercard. Principal objetivo é lutar pela liberdade de expressão

Cauê Fabiano, para o IDG Now!

09/12/2010 às 14h08

Foto:

Uma suposta carta-aberta dirigida “aos veículos de comunicação brasileiros” explica as intenções dos organizadores por trás dos ataques de negação de serviço (DDoS) que derrubaram ontem os sites da Mastercard e Visa.

“O que queremos com a Operação Payback? As ações que temos perpetrado acontecem em relação à campanha do governo americano e de algumas corporações (PayPal, Visa, Mastercard, Amazon) para censurar o Wikileaks e suas publicações”, diz o documento, que está sendo divulgado via Twitter. Os autores da carta (os “Anônimos”) escrevem que não podem ser definidos como “grupo de hackers” ou “piratas”, mas que fazem parte de uma força livre e descentralizada, “composta por diferentes indivíduos que às vezes coincidem em seus ideais e objetivos”.

O texto frisa também que os ataques não tem a intenção de prejudicar os usuários comuns que tentaram acessar os serviços, pois, de acordo com a carta, os Anônimos também fazem parte desse grupo de usuários, e que essa teria sido uma maneira de protestar contra “àqueles que retaliaram e censuraram apenas o WikiLeaks, mas a todos os cidadãos que concordam que o mínimo que um governo pode fazer é prestar contas de seus atos”, diz o manuscrito.

No novo perfil @anonops no Twitter – o antigo endereço @Anon_Operation foi retirado do ar durante a noite de ontem – foi divulgado um endereço de um blog que contém outra carta (em inglês), que também explica as motivações das ações, assim como os possíveis alvos, sejam “organizações, corporações, governos ou entidades, até que a Internet seja realmente livre”.

 

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail