Home > Notícias

Hacker instala o Android “Ice Cream Sandwich” no Kindle Fire

Sistema da Google já roda no tablet da Amazon, mas a adaptação ainda está incompleta e áudio, Wi-Fi, acelerômetro e sensor de luz ambiente não funcionam

Jared Newman, PCWorld EUA

07/12/2011 às 16h27

Foto:

Um esforço para criar uma versão do Android 4.x “Ice Cream Sandwich” capaz de rodar no tablet Kindle Fire, da Amazon, já está dando os primeiros frutos. Um hacker que se identifica como “Steven” publicou um vídeo que mostra o sistema rodando no tablet, e postou mais informações sobre o projeto nos fóruns do site XDA Developers. A adaptação ainda é incompleta, já que áudio, Wi-Fi, o acelerômetro e o sensor de luz ambiente não funcionam. Além disso as animações e transições ainda engasgam um pouco, mas já é um começo.

O hacker planeja criar um projeto Open Source para a adaptação do sistema, e prometeu contribuir o código que já desenvolveu. A iniciativa era apenas uma questão de tempo, considerando que todo o código-fonte do Android 4.0 está disponível sob uma licença Open Source.

kindlefire_ics-360px.jpg

Kindle Fire já roda o "Ice Cream Sandwich", mas nem todos os recursos funcionam

O interesse dos hackers no Kindle Fire se deve provavelmente ao seu preço de US$ 200, processador dual-core e popularidade entre os consumidores. Logo após o lançamento os usuários descobriram como conseguir permissões de root no aparelho e instalar o Android Market, livrando-se assim do catálogo menor da Amazon Appstore. Já os usuários que querem uma experiência Android mais “típica” no Kindle Fire podem instalar o CyanogenMod 7, um sistema baseado no Android 2.3.7 que dá ao aparelho todos os recursos, e a interface, de um tablet Android nativo.

A Amazon não impôs grandes barreiras à modificação de seu aparelho, mesmo perdendo dinheiro em cada unidade vendida e dependendo da renda dos serviços embarcados (como lojas de livros, música e vídeos) para ter algum lucro. A última atualização do sistema remove as permissões de root, mas não impede que os usuários refaçam o processo. E usuários que instalarem uma ROM completamente diferente no aparelho (como a CyanogenMod 7) não precisarão se preocupar com as atualizações vindas da Amazon.

Em minha opinião, a Amazon acha que impedir o trabalho de um punhado de hackers não vale o esforço. Isso é uma boa notícia para os usuários que querem um tablet barato para fazer experiências.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail