Hands-on: uma olhada de perto nas cinco câmeras do Nokia 9 PureView

Telefone é o primeiro da marca com cinco sensores na parte traseira. Descubra se isso é suficiente para tornar o aparelho numa opção atrativa no mercado

Foto: Dominic Preston
https://pcworld.com.br/hands-on-uma-olhada-de-perto-nas-cinco-cameras-do-nokia-9-pureview/
Clique para copiar

Desde o ressurgimento da marca nas mãos da empresa HMD Global, há alguns anos, a Nokia se tornou um grande participante nos mercados de smartphones de médio e baixo portes, mas tem lutado para romper o principal espaço. O Nokia 9 PureView poderá mudar isso?

Anunciado no Mobile World Congress 2019 em Barcelona, ​​o 9 PureView tem um ponto claro de venda – é o primeiro smartphone com cinco lentes traseiras –, mas vem com alguns grandes compromissos que ainda nos deixam imaginando se ele pode realmente competir com o mais recentes modelos da Samsung e da Sony.

É sempre complicado avaliar completamente um telefone logo após passar apenas 20 minutos com ele, ainda mais quando é focado em fotografia como o Nokia 9 PureView. Com design e processador atrasados ​​em relação à concorrência, é provável que o dispositivo se mantenha ou caia, isso se o efeito da foto corresponder ou não ao hype da Nokia. Se isso acontecer, esta poderia ser uma escolha popular para fotógrafos de celular, mas se não se destacar, então isso vai soar um pouco mais do que uma relíquia de 2018.

Preço e disponibilidade

Até agora, a Nokia tem anunciado apenas que o 9 PureView estará disponível em março, com pré-encomendas começando em breve. Quanto ao preço, atualmente está definido por US$ 699 – com preços ainda a serem confirmados para o Reino Unido e em outros mercados.

O valor é razoavelmente acessível – é muito menos do que o novo Galaxy S10, mas com uma concorrência acessível de similares como a OnePlus 6T ou o Honor View 20, a Nokia vem para provar que o 9 PureView vale o que ainda é uma quantia considerável de dinheiro.

Um é bom, cinco é melhor

Então vamos pular direto para a principal razão que alguém consideraria pegar o Nokia 9 PureView: as cinco câmeras traseiras. Vire o telefone e você vai se encontrar olhando para uma teia de aranha de lentes: duas lentes coloridas e três em preto e branco, acompanhado pelo flash e autofoco. É um projeto que certamente será um pouco controverso – eu, por exemplo, acho que parece absolutamente horrível, mas você pode muito bem discordar.

Mais interessante é o que essas cinco lentes fazem. Ao contrário das configurações de várias lentes em outros telefones, o 9 PureView não inclui uma variedade de lentes grande angular e de zoom que podem alternar entre as operações. Em vez disso, ele usa todas as cinco lentes juntas em cada tomada, juntando os resultados com alguma fotografia computacional bacana. Isso é essencialmente a mesma coisa que os telefones Pixel do Google fazem com apenas uma lente, mas ao usar cinco lentes de uma só vez, a Nokia diz que pode obter resultados mais rápidos, processando os cinco planos em paralelo, e não em série.

Existem outros benefícios para a configuração também. As três lentes monocromáticas podem ser usadas para fotografia nativa em preto e branco (que deve resultar em fotos mais nítidas e mais ricas), e a Nokia também afirma que as cinco lentes atuando juntas produzirão as melhores fotos em bokeh (com fundo desfocado), com até 1200 camadas de profundidade que você poderá escolher depois de tirar fotos.

A fotografia é, d e fato, o foco do dispositivo que não só se insinuou no nome, mas também é visto como parceiro da Nokia não apenas com a Zeiss para as lentes (como nos telefones anteriores), mas também com a Adobe, oferecendo aos usuários uma cópia do Lightroom durante a configuração para editar suas fotos – incluindo a opção de editar em RAW.

Claro, o grande ponto de interrogação é em torno de quão bom realmente tudo isso será no telefone final, especialmente porque está perdendo opções de zoom e grande angular. Uma sala de reunião de hotel mal iluminada, por exemplo, não é exatamente o melhor lugar para se colocar uma câmera à prova, então teremos que esperar a revisão final para realmente avaliar o 9 PureView.

Quase um carro-chefe

A câmera é estranha o suficiente, mas à sua maneira, o resto do telefone é ainda mais cheio de truques. A Nokia está posicionando o 9 PureView como seu carro-chefe de 2019, mas assim como o Sirocco do ano passado, o telefone combina a isso em alguns aspectos, ficando desconfortavelmente aquém do que os consumidores provavelmente esperam de um telefone de última geração deste ano.

Isso não é mais óbvio do que no interior do telefone. A Nokia se esforça para enfatizar a enorme quantidade de poder de processamento necessária para disparar as cinco lentes simultaneamente, o que torna ainda mais estranho que o telefone não tenha um Snapdragon 855, mas sim o 845 – agora com mais de um ano.

A Nokia insiste que isso é porque está trabalhando em estreita colaboração em otimizações com a Qualcomm há meses, e que basicamente está empurrando o 845 mais longe possível, porém um telefone carro-chefe com o chip do ano passado ainda é difícil vender. Os 6 GB de RAM e 128 GB de armazenamento incluídos são melhores, embora até mesmo 8 GB esteja rapidamente se tornando o novo padrão.

Você pode ver o mesmo mix de compromissos no design. O 9 PureView é fino com apenas 8 mm (e sem nenhum impacto na câmera, de forma impressionante) e parece liso com as já conhecidas arestas de alumínio anodizadas da Nokia. Mas ela ainda está compactando painéis na parte superior e inferior da tela, no momento em que outros carros-chefe estão indo rapidamente para a tela cheia.

É claro que algumas pessoas ainda preferem a aparência de bordas, o que pode dar ao 9 PureView um recurso extra. As molduras envolvem uma tela decente de 5.99 em 2K em pOLED, que é curvada nas bordas e que também possui um sensor de impressão digital embutido. Isso juntamente com o carregamento sem fio, a resistência à água IP67 e a omissão de um conector de fone de ouvido. Contudo, são os aspectos de design que realmente se destacam.

Uma nota final sobre o software, assim como o restante da linha da Nokia: o 9 PureView faz parte do programa Android One, o que significa que você está adquirindo a experiência completa de software “puro” do Google. Isso não significa apenas coisas como sem bloatware e uma interface limpa, mas também três anos de correções de segurança e dois anos de atualizações de recursos, o que significa que o telefone será atualizado não apenas para o Android Q, mas também para o Android R em alguns anos.

Ponto de vista inicial

É sempre complicado avaliar completamente um telefone logo após passar apenas 20 minutos com ele, ainda mais quando ele é focado em fotos como o Nokia 9 PureView. Com o seu design e processador atrasados ​​em relação à concorrência, é provável que o 9 PureView se mantenha ou caia se os recurso de foto corresponderem ou não ao hype da Nokia. Se isso acontecer, esta poderia ser uma escolha popular para fotógrafos de celular, mas se não se destacar, então vai soar como uma relíquia de 2019.

Especificações do Nokia 9 PureView

  • Tela: 5.99 em 18:9 2K pOLED
  • Processador: Qualcomm Snapdragon 845 octa-core
  • Memória RAM: 6 GB
  • Armazenamento interno: 128 GB
  • Bateria: 3.340 mAh com carregamento sem fio Qi
  • Câmeras traseiras: duas lentes coloridas de 12 MP com abertura f/1.8 e três lentes monocromáticas de 12 MP com abertura f/1.8
  • Câmera frontal: padrão de 20 MP
  • Conectividade: Wi-Fi, 4G, GPS, NFC, USB Type-C e Bluetooth 5.0
  • Sistema Operacional: Android 9.0 Pie
  • Outras características: leitor de impressão digital embutido no display, destravamento via reconhecimento facial e protocolo IP67 de resistência à água e poeira
  • Dimensões: 155 x 75 x 8 mm
  • Peso: 172 g

Este anúncio desaparecerá em:

Ir para o site