Home > Notícias

HP lança Chromebook com tela de 14 polegadas

Máquina custa US$ 330 nos EUA, tem processador de 1.1 GHz e 2 GB de RAM. Sistema ChromeOS inclui 100 GB de espaço para armazenamento de arquivos online no Google Drive.

Ian Paul, PCWorld EUA

05/02/2013 às 11h08

Foto:

A HP anunciou nesta segunda-feira o lançamento de seu primeiro Chromebook, confirmando uma série de rumores que surgiram durante o mês de janeiro. Com isso a empresa se junta à Samsung, Acer e Lenovo, que já vendem portáteis equipados com o sistema operacional Chrome OS, da Google. 

O Chromebook da HP tem uma tela de 14 polegados com resolução de 1366 x 768 pixels, o que o destaca em relação à maioria dos Chromebooks, equipados com telas de 11.6 polegadas. Também há um processador Intel Celeron de 1.1 GHz, um disco de estado sólido (SSD) de 16 GB, 2 GB de RAM e uma interface de rede 802.11 a/b/g/n, além de 3 portas USB 2.0, saída HDMI para ligação a monitores de alta-definição, porta ethernet, conector para fones de ouvido e microfone e um leitor de cartões de memória.

A HP promete uma autonomia de bateria de 4 horas e 15 minutos, e a máquina é um tanto pesada, com cerca de 1.8 Kg, e tem 2,1 cm de espessura. A máquina já está sendo comercializada diretamente pela HP nos EUA, com preço de US$ 330. O pacote também inclui 100 GB de espaço em disco no serviço Google Drive por dois anos, algo que normalmente custaria US$ 120 extras.

chromebook_hp-360px.jpg
O Chromebook da HP? tela de 14 polegadas

Não está claro o quão bem os Chromebooks estão vendendo, mas há indícios de que o conceito está se tornando popular entre os usuários nos EUA, à medida em que mais e mais pessoas colocam sua “vida” digital online. A Acer disse recentemente à Bloomberg que os Chromebooks foram responsáveis, desde de Novembro, por cerca e 5 a 10% de suas entregas de máquinas nos EUA. O modelo de 11.6 polegadas da Samsung é atualmente o Chromebook mais vendido na Amazon, e a Lenovo acredita que seu Chromebook da família Thinkpad, que custa US$ 429, irá interessar as escolas que pretendem fazer compras em grande volume.

Mesmo que a maioria de nós atualmente use os computadores basicamente para se acessar a internet, ainda acho surpreendente que os Chromebooks estejam ganhando popularidade. A Samsung e a HP vendem seus Chromebooks por preços entre US$ 300 e US$ 400, o que é o preço inicial dos notebooks Windows mais baratos no exterior. A vantagem de uma máquina com Windows é que você tem o melhor dos dois mundos: pode navegar com seu navegador favorito, inclusive o Chrome, e ainda pode usar aplicativos desktop como o Skype, se desejar.

Mas o contraponto a este raciocínio pode ser resumido por meu colega Jared Newman, que recentemente usou um Chromebook como máquina de trabalho na cobertura da CES em Janeiro. “Ele sempre ligou rapidamente, não pesou no ombro e foi muito confortável digitar nele”, disse. Ele também apontou que muitas das máquinas Windows com preços abaixo dos US$ 500 não chegam perto da qualidade e desempenho oferecidos pelo Chromebook Samsung Serie 5 550.

Se os Chromebooks são a próxima grande tendência entre os PCs, a Microsoft deve ficar preocupada, mesmo que os aparelhos com Windows ainda representem a maioria das vendas de PCs. Não há dúvida de que muitas pessoas passam uma boa parte de seu tempo diário em frente a um PC usando um navegador. E aplicativos web como o Google Docs e o Adobe Photoshop Express tornam a “vida na nuvem” muito mais fácil, e acabam roubando usuários dos aplicativos desktop.

A Microsoft também está tentando fazer o salto para a web, mas a empresa está adotando uma abordagem diferente ao fundir seus aplicativos desktop com soluções na nuvem, mais notavelmente como o Office 2013 e o Office 365 Home Premium. A nova versão do Office ainda inclui os aplicativos no desktop, mas a Microsoft encoraja os usuários a salvar seus documentos em seu serviço de armazenamento online, o SkyDrive. Com isso eles estarão imediatamente disponíveis em seus outros PCs com o Office 365. Os usuários podem até mesmo baixar versões “descartáveis” dos aplicativos, um recurso chamado Office on Demand, que podem ser usadas em qualquer PC com Windows 7 ou superior, e após isso removidas sem deixar nenhum rastro na máquina.

Mas mesmo a capacidade de baixar rapidamente um aplicativo desktop ainda não é tão instantânea quanto se logar em um website, como o Google Docs ou as próprias Office Web Apps da Microsoft.

Talvez se os Chromebook ganharem ainda mais popularidade, o que ainda está longe de ser uma certeza, a Microsoft tenha de se mover mais agressivamente rumo à nuvem e abandonar seu tradicional foco no desktop. Os Chromebooks são uma tendência interessante de observar, mas até que eu consiga uma máquina com a qualidade do Samsung Series 5 por menos de US$ 200, vou continuar com o Windows (e Linux).

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail