Home > Notícias

FX-57 é opção para games e aplicações pesadas

O Athlon 64 FX-57 tomou o lugar do seu antecessor, o FX-55, como o processador de único núcleo mais poderoso da AMD

13/07/2005 às 16h04

Foto:

Anunciado no final de julho, o Athlon 64 FX-57 tomou o lugar do seu antecessor, o FX-55, como o processador de único núcleo mais poderoso da empresa. Testado pelo PC World Test Center, o chip mostrou que, mesmo indicado para gamers, pode muito bem agradar entusiastas e usuários com necessidade de poder de processamento.

O novo chip roda a 2,8 GHz contra 2,6 GHz do Athlon 64 FX-55, seu antecessor como o dispositivo single-core top de linha da AMD. Assim como a linha dual-core Athlon 64 X2 lançada em junho, o Athlon 64 FX-57 é construído usando arquitetura de 90 nanômetros para maior eficiência e menor consumo de energia. O Fx-57 apresenta um cache L2 de 1 MB e tem bus HyperTramsport de 2-GHz. Enquanto não tem suporte ao padrão DDR2 de memória, a plataforma roda com DDR533.

Para usar o processador, o usuário precisará atualizar sua BIOS, mas não será necessário comprar uma placa-mãe específica: qualquer uma com slot Socket 939 compatível com a linha Athlon 64 aceitará o dispositivo.

No teste, foi utilizado um sistema de referência da AMD com o FX-57, 1 GB de memória DDR400, um disco da Western Digital de 74 Gb com 10.000 rpm, uma placa de vídeo nVidia 6800 Ultra com 256 MB e o Windows XP Professional. O conjunto atingiu uma pontuação de 116 no WorldBench 5, o que o faz ficar empatado no segundo lugar de desempenho com o processador dual core Athlon 64 X2 4800+. O FX-57 foi melhor que os 107 pontos médios conseguidos pelos dois testes com o Athlon 64 FX-55, assim como superou a marca de 102 pontos atingida pelo Pentium 4 64-bits Extreme Edition com 3,73 GHz.

Mesmo que a pontuação final tenha sido a mesma para as plataformas FX-57 e X2, resultados nas aplicações individuais que compôe o WorldBench5 variaram consideravelmente. Como era de se esperar, as maiores diferenças acontecer nos testes com tarefas simultâneas e nas aplicações multiprocessadas que reconhecem a tiram vantagem de múltiplos processadores, como o Windows Media Encoder.

No último caso, o sistema com X2 bateu o FX-57 por cerca de um minuto, completando o teste em 4 minutos e 16 segundos, contra os 5 minutos e 18 segundos usados  pelo FX-57. O PC com X2 foi melhor ainda no teste de aplicações múltiplas, onde levou 6 minutos e 44 segundos para completar a tarefa que o FX-57 demorou longos 8 minutos e 56 segundos para acabar.

No entanto, o sistema FX-57 reverteu a derrota eminente com o Musicmatch Jukeboz, melhorando a marca do X2 por cerca de um minuto (6 minutos e 30 segundos contra 7 minutos e 27 segundos para o X2). A máquina com o FX-57 também bateu o PC com o X2 em outras aplicações como o ACDSee PowerPack 5 e o WinZip 8.1, mas com margens menos dramáticas - a diferenças foi, geralmente, entre 5% e 10%.

Quando o teste passou para games, não houve discussão. O Fx-57 demonstrou suas superioridade no Unreal Tournament, que rodou a 185 quadros por segundo com resolução de 1.024 x 768 ppp e a 181 quadros com 1.280 x 1.024 ppp. Em contraste, o X2 chegou a 167 quadros por segundo, os dois sistemas FX-55 atingiram, em média, 151 quadros e o Pentium Extreme Edition rodou o game a 148 quadros com resolução de 1.024 x 768 ppp.

No geral, o FX-57 não é um processador para as massas - o elevado preço vai deixá-lo longe do alcance da maioria esmagadora dos usuários. NO entanto, gamers, entusiastas e usuários que precisam de poder de processamento e não querem uma máquina dual-core com processamento multitarefas deverão gostar da excelente performance do chip.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail