Home > Notícias

Intel afirma que não mudará práticas comerciais

A Intel declarou que discorda das alegações do processo antitruste movido pela Advanced Micro Devices (AMD) e disse que vai manter suas práticas comerciais.

Dan Nystedt

14/07/2005 às 15h18

Foto:

A Intel declarou que discorda das alegações do processo antitruste movido pela Advanced Micro Devices (AMD) e disse que vai manter suas práticas comerciais.

"Nós discordamos totalmente das alegações da AMD", declarou Paul Otellini, presidente e Chief Executive Officer (CEO) da Intel em um comunicado.

Ainda nesta semana, a AMD abriu um processo antitruste contra a Intel nos Estados Unidos declarando que a companhia mantém monopólio no mercado de processadores para PCs por meio da coerção ilegal dos clientes ao redor do mundo.

"A Intel sempre respeitou as leis dos países em que opera. Nós competimos agressivamente e de maneira justa. Isso não vai mudar", declarou Otellini.

O executivo informou também que já enfrentou processos antitruste semelhantes nos Estados Unidos e que espera conseguir parecer "favorável" na ação movida pela AMD.

Em março, a Japan Fair Trade Commission (JFTC) - órgão regulador do comércio japonês - declarou que a Intel abusou de seu poder de monopólio no mercado de microprocessadores, restringindo a competição. A Intel discordou da conclusão, mas concordou em rever suas práticas comerciais.

A Comissão Européia também está conduzindo uma investigação sobre a Intel a respeito de possíveis violações antitruste, e a companhia já foi objeto de várias investigações do gênero no passado.

Justa ou não, a dominação da Intel no mercado de processadores para PCs torna a companhia um alvo fácil para processos antitruste. No primeiro trimestre de 2005, a Intel esteve presente em 81,7% dos desktops, servidores e processadores baseados na tecnologia x86, segundo a consultoria Mercury Research.

O processo declara que a Intel utilizou subsídios ilegais para conquistar vendas, e, em alguns casos, ameaçou os fabricantes com "severas conseqüências" por optar por produtos da AMD.

De acordo com analistas, porém, a AMD precisará apresentar provas desse monopólio, a fim de mostrar que as práticas da Intel têm prejudicado os consumidores e a competição no mercado.

Processo também no Japão

A Advanced Micro Devices (AMD) abriu um processo nesta quinta-feira (30/06) contra a Intel também no Japão, reivindicando 55 milhões de dólares em indenizações pela violação das leis antimonopólio no país.

Segundo a empresa, o valor diz respeito ao ressarcimento por várias atitudes anticompetitivas praticadas pela Intel no país, entre elas a compensação dos lucros perdidos nas vendas não realizadas para NEC, Fujitsu, Toshiba, Sony e Hitachi.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail