Home > Dicas

Riscos no descarte de discos

Exame feito em dez discos rígidos comprados usados ou recuperados em lixões de PCs encontrou dados pessoais e corporativos em todos eles. Saiba como limpar seu HD para não deixar rastros.

PC World

18/07/2005 às 16h39

Foto:

Uma pesquisa feita pelo Gartner Dataquest revelou que as empresas e pessoas físicas nos Estados Unidos descartaram cerca de 150 mil discos rígidos no ano passado. Ao mesmo tempo, detectou que cresceu significativamente o número de incidentes com segurança de dados, resultado do descarte inadequado desses dispositivos. Segundo o instituto de pesquisas, boa parte das empresas costuma reformatar os discos e, depois, os doam a seus funcionários, instituições de caridade ou a qualquer pessoa que possa fazê-las economizar com os custos para se livrar dos equipamentos que não querem mais.

E essa falta de cuidado no descarte de discos fora de uso é o que tem deixado dados corporativos e pessoais superexpostos. Um exame feito pela PC WORLD nos EUA em dez discos rígidos comprados usados ou recuperados em “lixões” de PCs revelou que eles apresentaram uma enorme quantidade de dados confidenciais. Em todos eles foram encontrados inclusive dados corporativos, médicos e legais confidenciais, números de cartões de crédito e de contas bancárias, e-mails e até mesmo fotos.

A maior parte das informações era de fácil acesso — mesmo nos quatro discos cujos antigos proprietários tentaram apagar os dados, excluindo os arquivos, esvaziando a lixeira ou reformatando o disco — medidas que simplesmente escondem os dados do sistema operacional. E não surpreendeu que os antigos proprietários dos equipamentos ficaram chocados quando souberam que pessoas estranhas tinham acessado suas informações. Uma loja de informática, por exemplo, vendeu um disco rígido que havia pertencido a um contador — recheado com o registro de quatro anos da folha de pagamento, informações fiscais e números de cartões de seguro social de funcionários.

Do mesmo modo, uma loja de equipamentos usados vendeu ao repórter um PC que havia pertencido a um advogado. Ele ainda continha no disco rígido números de contas bancárias, uma conta ativa da America Online (com senha armazenada) e rascunhos de documentos jurídicos. Tanto o advogado quanto o contador, contatados pela reportagem, achavam que o simples fato de terem apagado todos os dados do disco bastaria.

Um estudo realizado no início deste ano pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT) mostra que essa falta de cuidado é bastante comum. Dois alunos de pós-graduação compararam 158 discos rígidos na EBay e de lojas on-line. Dos 129 nos quais eles trabalharam, 69 possuíam arquivos que puderam ser recuperados e 49 continham informações pessoais, inclusive 3.700 números de cartões de crédito, informações médicas e fotos. Somente 12 deles haviam sido devidamente limpos. As empresas ficam vulneráveis quando inadvertidamente compartilham informações confidenciais.

Mesmo quando as pessoas reformatam o disco rígido, um curioso interessado pode recuperar os dados contidos nele utilizando ferramentas como o Disk Editor, do Norton SystemWorks, ou o gratuito Disk Investigator. A reportagem de PC WORLD fez isso com um disco adquirido em uma feira de informática itinerante e descobriu pesquisas, mensagens eletrônicas e um registro de sites visitados pelos funcionários de determinada empresa. Um outro disco rígido comprado na feira de informática não possuía sistema operacional. Mas foi possível identificar seu antigo proprietário – e complexas atividades documentadas em 20 MB de dados que não poderiam ser impressas na revista.

A lição para os usuários de PCs: discos rígidos antigos nem sempre estão mortos ou acabados. Despejar seu antigo disco rígido no lixo não é garantia de que ele — e seus dados — encontrarão um lugar para descansar em paz. Freqüentemente, eles podem ser recuperados e reutilizados em outros computadores. E quando isso acontece, os dados e por vezes alguns segredos de seus antigos usuários vão com eles. Limpar adequadamente um disco rígido antes de se livrar dele ou vender um computador exige apenas um pequeno investimento e uma barata ou até gratuita ferramenta para exclusão de dados (veja abaixo). Mas algumas pessoas muitas vezes nem se dão ao luxo de fazer uma limpeza básica.

Ferramentas e dicas: Extermínio de dados corporativos e pessoais

A única forma garantida de destruir dados contidos em discos rígidos é sobrescrevê-los. Eis alguns programas e dicas que irão ajudá-lo a fazer a coisa certa:
 

  • WipeDrive, da Access Data (disponível por cerca de US$ 40 em www.accessdata.com), cria um disquete de iniciação que pode ser utilizado para sobrescrever seu disco rígido — sistema operacional incluso.

  • Active KillDisk da LSoft Technologies (disponível em www.killdisk.com), um utilitário DOS gratuito, que também sobrescreve dados, mas não possui algumas coisas importantes como ferramenta para verificação se o disco está realmente limpo.
  • Para excluir arquivos individualmente, o Norton SystemWorks 2003 Professional Edition (R$ 189) da Symantec (disponível em www.symantec.com/downloads) inclui um utilitário denominado WipeInfo.

  • Duas opções gratuitas que você pode experimentar são o Sure Delete (disponível em www.westnet.com.au/members/vault/system.shtm) e o Eraser (disponível em www.heidi.ie/eraser).
  • Tags

    Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail