Home > Notícias

Surge primeiro vírus destrutivo para celulares

Cardblock.A apaga as pastas vitais do sistema e ainda bloqueia o acesso ao cartão de memória do aparelho

IDG Now!

30/09/2005 às 17h00

Foto:

A F-Secure alertou nesta sexta-feira (30/09) para o surgimento do primeiro vírus que efetivamente destrói o sistema operacional do celular afetado. Chamada de Cardblock.A, a praga apaga as pastas vitais do sistema e ainda bloqueia o acesso ao cartão de memória do aparelho, no qual geralmente ficam as informações pessoais do usuário, como agenda de telefones, e-mails e compromissos.

Disfarçado de uma versão pirateada da aplicação InstantSis, que recupera arquivos de programas de um celular e transfere para outro, o Cardblock.A pode ser baixado em diversos websites maliciosos de downloads na web.

Após ser executado, a praga pede que a vítima reinicie o celular para que as alterações tenham efeito. Depois de cumprir a recomendação, entretanto, o usuário tem todas as pastas vitais do sistema operacional Symbian apagadas, além de ter o acesso ao cartão de memória bloqueado por uma senha criada pelo próprio Cardblock.A.

A F-Secure alerta que o vírus danifica o smartphone tão gravemente que o aparelho perde todas as suas configurações. Em um teste interno, os especialistas da companhia verificaram que o celular usado como cobaia perdeu até mesmo a referência de idioma - depois de reiniciar, o alerta de que o sistema estava inacessível apareceu em finlandês, sendo que a linguagem padrão era o inglês.

Alguns smartphones que utilizam uma versão mais antiga do sistema Symbian, como os modelos Nokia 6670 e Nokia 6600, sobreviveram à destruição de suas pastas vitais, mas modelos mais novos, como o Nokia 6630, são atingidos em cheio.

Em todos os casos, porém, o cartão de memória estava inacessível por causa da senha criada pelo vírus. A F-Secure afirma que ainda não descobriu um método de evitar a perda do cartão, mas promete encontrar uma solução para quebrar o bloqueio criado pelo Cardblock.A.

A companhia recomenda que, além de manter um antivírus atualizado em seus smartphones, os usuários evitem a qualquer custo baixar softwares pirateados em seus aparelhos, pois o preço a ser pago pode ser muito alto.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail