Home > Dicas

Como comprar um notebook: Panorama geral

03/11/2005 às 19h10

Foto:

Se algum dia você já fez uma pesquisa para comprar um notebook, sabe que deve levar em conta muitos outros fatores além do desempenho e das conexões. Os compradores de notebooks têm de considerar variáveis como tamanho, peso, dimensões da tela, autonomia da bateria e qualidade do teclado, sem mencionar novas opções como as interfaces de comunicação sem fio (Wi-Fi).

Recursos principais

Processador - O processador Pentium M, da Intel, ajudou os notebooks a atingir novos níveis de desempenho. Nos nossos testes, notebooks equipados com o Pentium M foram consideravelmente mais velozes que os equipados com o Mobile Pentium 4. Os processadores Pentium M também possibilitam maior duração da bateria. Você ainda pode optar por um processador Mobile Pentium 4, mas a maioria dos fabricantes de notebook está empenhada em incorporar o Pentium M a todas as classes de equipamentos.

Alguns modelos de notebooks, notadamente os ultraportáteis, usam o processador Athlon 64 Mobile ou Turion, ambos da AMD, assim como o Pentium-M de baixa voltagem (Low Voltage, LV) ou ultrabaixa voltagem (ultra-low voltage, ULV) da Intel, que aumentam a vida da bateria. Atualmente, a maior parte dos fabricantes só oferece estes processadores em ultraportáteis. Alguns notebooks utilizam os processadores para desktop Intel P4 ou AMD Athlon 64, que proporcionam ganho de performance se forem criados para suportar – e você puder tolerar – o aquecimento extra que geram.

Memória do sistema – A menos que você esteja pagando muito pouco, um novo notebook, em geral, inclui de 256 MB a 512 MB de memória do sistema. Não se contente com nada inferior a 256 MB se você quiser algo além de processamento de texto e e-mail, porque o Windows XP e aplicações mais novas precisam dessa memória, no mínimo. O uso de qualquer coisa abaixo desse patamar pode retardar seu trabalho. Se você optar por 1 GB de RAM quando comprar o notebook, ajudará a prolongar a vida útil da máquina.

Memória gráfica – Você vai querer 32 MB ou 64 MB de RAM de vídeo (VRAM) dedicada se pretende utilizar o notebook com monitores externos para apresentações. Certifique-se de que a memória seja dedicada a uso gráfico, em vez de extraída da memória principal. Às vezes, é chamada de Universal Memory Architecture (UMA) ou Shared Memory Architecture (SMA), ou, ainda, Dynamic Video Memory Technology. Os aficionados por games devem procurar chips gráficos 3D avançados, como o Mobility Radeon, da ATI, ou GeForce2Go, da NVidia, e 64 MB a 128 MB de memória gráfica dedicada.

Tela – As telas de notebook estão cada vez maiores. Portáteis com telas de 14,1 polegadas a 15 polegadas agora custam entre 3.000 reais e 4.000 reais. Alguns fabricantes oferecem equipamentos com telas de 17 polegadas ou mais. A desvantagem é que quem viaja a negócios com freqüência – e prefere as telas mais compactas de 12,1 polegadas dos notebooks – em breve talvez só tenha os ultraportáteis como opção. Mas qualquer que seja o tamanho da tela LCD, ela deve ter uma resolução nativa (real) de, no mínimo, 1.024 x 768 pixels (padrão XGA). Não aceite nada menor do que isso.

Bateria – A duração da bateria dos notebooks deu um passo à frente com o Pentium M. Nos testes, a duração da bateria em unidades equipadas com o novo chip foi de 3,5 horas em média (para uma bateria apenas). Alguns notebooks funcionam até 7 horas. Independentemente da CPU, prefira a bateria recarregável de íons de lítio (li-ion), mais duradoura do que a de hidreto de níquel metálico (NiMh). Como opção, muitos fabricantes também oferecem baterias suplementares ou de maior capacidade (com maior número de células de energia) para prolongar a autonomia.

Teclado e dispositivo de apontamento – Embora você possa se acostumar com praticamente qualquer teclado de notebook, é melhor experimentar antes de comprar. Notebooks finos e leves em geral têm teclas menores que a média, o espaçamento entre elas é mais apertado e o layout pode diferir em relação a um teclado padrão. No passado, o usuário não podia escolher entre um dispositivo Pointing Stick e um Touchpad. Mas, nos dias de hoje, vários fabricantes como HP, Dell e até a Lenovo oferecem ambas as opções nos seus portáteis mais sofisticados. Fora isso, no Brasil já é comum os fabricantes oferecem portáteis com teclado em português (ABNT-2). Portanto, certifique-se também desse detalhe antes de fazer sua escolha.

Drives ópticos e outros – Diversos fabricantes disponibilizam notebooks com unidades de CD regraváveis. Muitos já oferecem drives que combinam DVD-ROM e CD-RW. As máquinas de médio porte, em geral, trazem um ou outro, e somente os notebooks mais baratos vêm com apenas um drive CD-RW ou até mesmo um CD-R.

A unidade de disquete é um item raro nos portáteis atuais. Se você precisa de um, no entanto, pode comprar um drive de disquete USB opcional. Outra opção é o uso de um Memory Stick USB.

Disco rígido – Talvez você não necessite do espaço, mas os discos rígidos dos notebooks irão continuar crescendo. Notebooks mais baratos com discos rígidos com menos de 30 GB já são difíceis de encontrar. Você ainda pode economizar dinheiro se optar por um modelo de 40 GB ou 60 GB. Um disco rígido de 100 GB topo de linha vai pesar um pouco mais no seu bolso quando encomendar seu notebook. Você pode remover facilmente o disco rígido da maioria dos portáteis se decidir que quer atualizá-lo ou somente guardar seus dados com segurança.

Peso e design da baia – Os notebooks variam de gigantescos substitutos do desktop de quase 4 quilos passando pelos modelos do tipo tudo-em-um (com drive óptico embutido) na faixa dos 2,0 quilos, chegando nos ultraportáteis de 1,5 quilo ou menos, que raramente utilizam drives externos. O antes raro notebook de tamanho médio com uma baia para periféricos tornou-se mais predominante por seu equilíbrio atraente entre recursos e peso.

Ao fazer a compra, você deve considerar o peso não só do notebook, mas também do adaptador de rede elétrica (AC), dos módulos externos e de seus cabos. Os notebooks ultraportáteis possuem adaptadores leves, mas podem pesar quase tanto quanto um notebook de tamanho natural se você tiver que carregar os drives ópticos e de disquete externos.

Ao voltar a sua mesa, você poderá acoplar alguns modelos de notebook a uma docking station ou um replicador de porta por um custo extra. Assim, não terá de plugar e desplugar, repetidamente, monitor, teclado, mouse e outros periféricos externos.

Comunicação – Atualmente, poucos notebooks vêm com um conjunto completo de portas legadas. Portas seriais e paralelas são raras e interfaces PS/2 (para mouse ou teclado) e infravermelho também estão prestes a cair em desuso. Porém, a maior parte dos notebooks ainda tem slot PC Card. A maioria também traz pelo menos duas portas USB 2.0, chegando em certos casos a quatro. Um número crescente inclui uma porta FireWire (IEEE 1394) para conexão de câmera de vídeo digital.

Porta de rede embutida do tipo Fast Ethernet (10/100 mbps) agora é padrão em todos os portáteis. Alguns modelos high-end têm até Gigabit Ethernet (10/100/1.000 mbps). Notebooks baseados na plataforma Intel Centrino vêm com rede Intel 802.11b/g incorporada. As máquinas com o selo Pentium M ou da AMD têm a opção de aceitar 802.11b/g. Bluetooth também está decolando, mas, se você não tiver uma necessidade específica de usá-lo, sua máquina não precisa vir com Bluetooth embutido.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail