Home > Notícias

AOL fecha portas no Brasil e vende base ao Terra

O acordo depende da aprovação da corte de falências norte-americana, que deve ocorrer até o final de janeiro

IDG Now!

29/12/2005 às 15h24

Foto:

A subsidiária brasileira da América Online (AOL) passará sua base de assinantes ao Terra e deixará de operar no Brasil em março de 2006, de acordo com fontes internas da companhia.

O acordo depende de aprovação da corte de falências norte-americana, que deve ocorrer até o final de janeiro.

Procurados pela reportagem do IDG Now! os executivos da AOL e do Terra não estavam disponíveis para comentar a negociação.

A AOL iniciou seus negócios no Brasil em novembro de 1999, há seis anos, e tem clientes em todo o País.

A América Online Latin América (AOLA), que controla a operação brasileira, está em processo de concordata desde junho de 2005.

Desde o início do ano, a AOLA vem tentando vender seus negócios no Brasil, Argentina e México.

No final do mês de outubro deste ano, a companhia conseguiu vender sua operação na Argentina por 1 milhão de dólares a uma empresa argentina de informática chamada Datco.

Já a operação no México foi vendida à operadora Nextel por 14,1 milhões de dólares, mas só no papel. A Nextel comprou apenas os ativos contábeis, portanto o pessoal que ainda fazia parte da equipe da AOL no México ficou sob responsabilidade da AOL Latin América.

Em setembro, a companhia demitiu 72 funcionários das subsidiárias do México e da Argentina, processo que gerou despesas de 1,9 milhão de dólares no terceiro trimestre fiscal de 2005.

A AOL Brasil, que ainda esperava por um comprador na época, dispensou mais de 80 funcionários em maio deste ano e concentrou suas operações em Santo André (SP) para reduzir custos.

O corte na AOL Brasil foi anunciado cerca de 40 dias após a declaração da AOLA à Securities and Exchange Commission (SEC) dos Estados Unidos informando que teria dinheiro para operar somente até o terceiro trimestre de 2005.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail