Home > Notícias

Banda larga: Brasil tem 3,45 milhões de conexões

Número significa uma taxa de penetração de 1,9% de sua população brasileira, maior do que o México, mas menor do que Argentina e Chile

16/02/2006 às 19h26

Foto:

O Brasil é o 36º país em acesso rápido à internet com 3,46 milhões de conexões de banda larga, o que significa uma taxa de penetração de 1,9% de sua população e de 19,7% sobre o número de PCs.

A média supera o México, mas menor do que Argentina e Chile na América Latina, segundo a pesquisa "Barômetro Cisco de Banda Larga", realizada sob encomenda pela IDC Brasil.

O México tem 1,290 milhão de acessos de banda larga, o que corresponde a 1,2% de sua população.

Argentina e Chile contam com 804 mil e 638 mil acessos em alta velocidade, o que significa 2% e 4% da população, respectivamente.

O país com maior penetração da população com banda larga é a Coréia do Sul, com 26,2% de seus habitantes com conexão de internet em alta velocidade, segundo a pesquisa, cujos dados são de setembro de 2005.

A velocidade média no Brasil é de 375 Kbps (kilobits por segundo). Nos Estados Unidos, é de 4,5 Mbps (Megabits por segundo).

A projeção da pesquisa é que o Brasil terá 10 milhões de conexões em banda larga em 2010, registrando uma penetração de 5,1% em relação ao número de habitantes e de 33,1% relaiconada ao número de PCs.

Como mede o número de conexões, e não de usuários, a pesquisa mostra que 84,3% destes acessos são residenciais, seguido de SoHo (pequenos escritórios), com 5,8%, pequenas empresas (5,5%), médias (2,8%), grandes (0,9%) e governo/educação (0,6%).

Veja o ranking da pesquisa Barômetro Cisco de Banda Larga (o número entre parênteses indica a penetração entre a população)

1 - Coréia (26,2%)
2 - Holanda: (24,2%)
3 - Hong Kong: (24,1%)
4 - Canadá: (18%)
5 - Japão: (17,8%)
6 - Reino Unido: (16%)
7 - EUA: (14,5%)
8 - França: (14,3%)

Queda de preços

Entre os fatores que devem colaborar com a projeção da IDC destaca-se a queda nos preços do acesso rápido. Segundo a consultoria, entre o início de 2004 e setembro de 2005, os pacotes de acesso a 128 Kilobits por segundo (Kbps) tiveram uma queda de 44% nas assinaturas - de 71 para 40 reais. No mesmo período, os pacotes com velocidades entre 256 e 512 Kbps tiveram uma redução de custo de 45% - de 101 para 56 reais.

As maiores quedas de preços ocorreram nos pacotes de 1 Megabit por segundo (Mbps) a 8 Mbps. Na primeira faixa, de 1 a 2 Mbps houve a maior queda (72%), de 421 para 119 reais. Já o acesso de 2 Mbps a 8 Mbps passou a custar 83% menos de 2004 a setembro de 2005 - 1.067 para 394 reais mensais.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail