Home > Dicas

Backup? É pra já

Evite a perda de informações importantes com uma rotina de cópias de segurança conveniente para suas necessidades

24/03/2006 às 11h57

Foto:

Algum dia você pode perder um arquivo importante do qual não tem cópia. Muitos usuários continuam a brincar de roleta-russa com informações e produções digitais valiosas. Mas você não tem de fazer isso. Estas instruções vão ajudá-lo a instituir um regime de backup adequado às suas exigências.

No Windows XP e no 2000, você precisa apenas fazer uma cópia de segurança da pasta C:\Documents and Settings (ou qualquer pasta que tenha definido como padrão). Para o Windows 98 ou Me, a lista é um pouco mais extensa, incluindo as seguintes pastas: c:\meus documentos; c:\windows\all users; c:\windows\application data; c:\windows\desktop; c:\windows\favoritos; c:\windows\configurações locais; c:\windows\profiles; c:\windows\ sendto; c:\windows\menu iniciar.

Faça pelo menos uma cópia extra de todos os arquivos pessoais importantes, incluindo registros comerciais e financeiros, documentos de texto, planilhas, mensagens de correio eletrônico, fotos, vídeos e músicas. Um backup completo do sistema, como uma imagem do disco, ajuda na recuperação rápida de uma falha do drive ou outra catástrofe, mas acrescenta os custos de uma segunda unidade de disco rígido ou uma troca de disco potencialmente longa se você usa seu drive óptico. A melhor hora para criar uma imagem do disco é imediatamente depois da reinstalação do Windows e de ter seus aplicativos em funcionamento. É muito útil ter à mão uma imagem com uma cópia corrigida do Windows e de todos os seus programas favoritos configurados da maneira que você deseja. De qualquer forma, você pode se sair bem com um simples backup de arquivos de dados e pastas. Demora, mas você pode reinstalar sistemas operacionais e aplicativos com o uso de seus discos originais, e o Windows talvez até trabalhe melhor depois de recarregado.

Particione por segurança

Por padrão, o Windows e a maioria dos aplicativos despejam os arquivos que você cria em Meus Documentos. Esta pasta separa fotos, músicas, vídeos e outros tipos de arquivo e guarda todos eles no mesmo local para facilitar a cópia. Infelizmente, no entanto, essa pasta reside na partição de boot do Windows – o lugar mais vulnerável e populoso da unidade de disco rígido.

A criação de uma nova partição para dados torna o backup mais fácil e seguro porque você evita sobregravar os arquivos quando reinstala o Windows. Uma abordagem possível é usar o drive C: para o sistema operacional e depois criar uma nova partição (nomeada drive D:) para os aplicativos, outra partição (drive E:) para dados comerciais e/ou financeiros e uma terceira partição (drive F:) para arquivos de imagem, som e vídeo. O Partition Magic 8, da Symantec (120 reais) e o Disk Director Suite, da Acronis (49,99 dólares) simplificam a criação de novas partições de unidade de disco rígido e redimensionam as existentes.

Se você quiser continuar usando Meus Documentos como seu principal depósito de arquivos, é possível reposicionar a pasta fora da partição Windows. Para isso,abra o Windows Explorer, clique com o botão direito em Meus Documentos, selecione Propriedades e escolha o botão Mover sob a guia Destino. Selecione a pasta fora da partição Windows onde você quer posicionar Meus Documentos e clique em OK quantas vezes for necessário. Para mudar a pasta onde o Outlook Express armazena e-mails, abra o programa, clique em Ferramentas/ Opções/Manutenção/Pasta de Armazenamento/Alterar, vá até a pasta na qual deseja guardar seus e-mails e clique em OK até que todas as caixas de diálogo estejam fechadas.

Encontre a mídia certa

Manter múltiplas cópias em múltiplos lugares são os dois elementos essenciais do backup – no primeiro caso porque qualquer mídia pode ser danificada e, no segundo, porque ninguém quer perder a cópia de segurança se acontecer um problema sério com o computador. Portanto, faça backup em vários conjuntos de CD, DVD ou outra mídia e escolha o meio de armazenamento conforme o tamanho da tarefa. Por exemplo, se seus arquivos totalizam 2 GB e você quer três cópias separadas, você não acomodará todas elas em um único CD e levará uma eternidade para subi-los para um servidor web. Opte, então, por um queimador de DVD, uma unidade de disco rígido externo ou ambos. Por outro lado, se você precisa apenas copiar 200 MB de dados e duas cópias bastam, a solução CD/disco virtual pode ser mais recomendável.

Para a maioria das pessoas, DVD é a mídia de backup ideal. Os preços dos drives de DVD graváveis estão caindo e os DVDs armazenam muito mais dados do que os CDs. Além disso, discos de DVD graváveis são mais baratos e prontamente removíveis para armazenamento seguro em outro local (off-site). Mas o uso de DVDs pode demandar algumas trocas de disco. Portanto, você terá de ficar por perto enquanto o backup é feito – pelo menos no início. Backup em DVD custa entre 0,50 real e 1,40 real por gigabyte apenas. Para arquivar dados que você guardará por longo tempo, sem alteração, use mídia DVD±R, mais confiáveis do que RW.

Se você quer backups mais velozes que não requeiram sua presença para a troca de discos, experimente um disco rígido externo como o OneTouch, da Maxtor, que custa aproximadamente 1.300 reais o modelo de 250 GB. Mas, atenção: uma unidade de disco rígido é muito frágil e falível para ser a única mídia de cópia de segurança.

Serviços online como o XDrive (www.xdrive.com) e o Ibackup (www.ibackup.com) são caros – mensalidades a partir de 9,95 dólares e 14,95 dólares, respectivamente – e interminavelmente lentos sem uma conexão com internet em banda larga. Ainda assim, são adequados para backup de um volume modesto de dados críticos. A web também é, de longe, o lugar mais seguro para armazenar arquivos e um dos meios que garante mais fácil acesso às informações armazenadas.

Uma ferramenta de backup enxuta e prática são os dispositivos USB baseados em memória flash. Modelos de 1 GB têm preços a partir de 320 reais. Os drives desse tipo cabem no bolso e são capazes de proteger pequenos volumes de dados vitais “na estrada”. Não se esqueça de criptografar os arquivos para mantê-los longe de olhos bisbilhoteiros no caso de perder a unidade. O quadro na página seguinte traz outras dicas e considerações sobre as diversas opções de mídia de backup.

Backup sem erro

O primeiro backup é, indiscutivelmente, o mais importante porque serve de base para todos os subseqüentes. Execute seu software de backup e selecione as partições (para backup de uma imagem) ou arquivos e pastas (para backup de arquivo) que você quer proteger. Não menospreze itens como e-mail, catálogo de endereços e agenda. Se você não tem certeza de onde esses itens — e dados de outros programas — estão armazenados no seu sistema, abra o aplicativo correspondente e procure as configurações de armazenamento de arquivo entre as opções.

Proteja com senha e criptografia os dados se quiser mantê-los em sigilo. Dê a cada backup um nome descritivo, como “Backup do vídeo de aniversário de um ano da Natalia 05 06 2005.bak”. Use o recurso de comentários para listar a data e a hora do backup e tudo o mais que o ajude a discernir seu conteúdo no futuro. Economize espaço, compactando o backup, a menos que planeje restaurar os arquivos apenas com o Explorer.

Utilize a função de verificação do aplicativo para confirmar que todos os dados foram copiados corretamente – muita coisa pode dar errado depois, você não precisa começar com um backup ruim. Faça pelo menos duas cópias (copiar o primeiro DVD ou CD em um segundo disco pode ser mais rápido do que executar o backup duas vezes).

Depois de fazer seu backup de base completo, você pode reduzir drasticamente as demandas de tempo e espaço, realizando backups diferenciais, que incluem todos os dados alterados desde o backup de base, ou backups incrementais, que incluem apenas dados que mudaram desde o último backup de qualquer tipo (completo, diferencial ou incremental). Os backups incrementais são rápidos e requerem relativamente pouco espaço de armazenamento, mas, para recriar arquivos a partir deles, é preciso restaurar cada um destes backups em ordem. Finalmente, embora você nunca deva gravar novos backups sobre sua base original, você pode e deve sobregravar backups diferenciais e incrementais depois de fazer novas cópias de segurança completas que contenham os mesmos dados.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail