Home > Notícias

Não precisa nem clicar

Ameaças virtuais como worms, cavalos-de-tróia e spywares também entram em ação com a simples conexão à web

Daniel dos Santos

12/04/2006 às 12h11

Foto:

Ameaças virtuais como worms, cavalos-de-tróia e spywares também entram em ação com a simples conexão à web

virus automatico - 100x120Quando o assunto é segurança na internet, muita gente acredita que não precisa se preocupar porque não clica em arquivos anexados a e-mails nem em links contidos em mensagens. Se você também pensa dessa forma, temos uma má notícia: várias ameaças atacam sem que você faça absolutamente nada.

“Ao contrário do que muita gente pensa, não é preciso dar um clique para infectar um computador”, destaca Lúcio Costa de Almeida, especialista em segurança da Symantec. Worms como o Sasser e o Netsky utilizam as conexões de banda larga à internet para buscar máquinas vulneráveis, ou seja, com softwares desatualizados ou sem programas de proteção. Ao encontrar um equipamento nessas condições, instalam-se automaticamente e passam a utilizá-lo para ataques de negação de serviço ou disseminação de spam. Em outras palavras, o computador passa a fazer parte de uma rede de bots, ambiente que reúne milhares de “computadores zumbis”. Segundo levantamento realizado pela Symantec no segundo semestre de 2005, o Brasil lidera o ranking dos países da América Latina em volume de bots, com 34% das ocorrências, seguido do México (24%).

De acordo com José Antunes, gerente de engenharia de sistemas da McAfee, alguns sintomas da presença desses invasores são a exibição de pop-ups, a alteração da página inicial do browser, o desligamento espontâneo e a lentidão do sistema. Em muitos casos, porém, o usuário não nota que seu computador está contaminado.

Ao visitar sites, o internauta também está sujeito a ataques. Basta acessar endereços na web com arquivos nocivos embutidos. “Hackers invadem servidores web, inserem códigos maliciosos nos sites e, ao acessar esses endereços, o visitante recebe cavalos-de-tróia”, explica Almeida, da Symantec. É uma espécie de download sem a participação do internauta.

Ao reiniciar o computador, o programa espião é ativado e passa a enviar informações confidencias para criminosos. Para atingir um número maior de vítimas, o pirata da internet deixa o site idêntico. Assim, o administrador do endereço leva mais tempo para tirar a página do ar. Estar seguro na internet exige mais cuidado do que muitos imaginam.

Dicas para evitar a contaminação por ameaças automáticas

Utilize antivírus, anti-spyware e firewall. Máquinas desprotegidas são contaminadas em poucos minutos quando se conectam à internet

Atualize os programas. Dê atenção especial aos utilitários de segurança, sistema operacional e navegador. Os criadores de vírus aproveitam-se do grande volume de vulnerabilidades descoberto todos os meses

Malwares em ação

Confira como algumas pragas virtuais entram em ação sem a intervenção do usuário:
Por conexão | Por navegação

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail