Home > Notícias

Busca ainda é principal foco do Google, diz CEO Eric Schmidt

CEO diz que a busca é a base para todos os outros serviços e continuará a ser aprimorada ao longo dos próximos anos

Por Elizabeth Montalbano, para o IDG Now!*

11/05/2006 às 11h35

Foto:

CEO diz que a busca é a base para todos os outros serviços e continuará a ser aprimorada ao longo dos próximos anos

A busca continuará a ser o principal foco do Google, mesmo com a  companhia criando uma ampla variedade de serviços para ajudar os internautas a encontrar e distribuir informações, disse o chief executive officer (CEO) Eric Schmidt na quarta-feira (10/05).

“É importante que as pessoas saibam que estamos trabalhando mais que nunca em buscas”, disse Schmidt. “Este continua a ser o foco de nosso negócio e provavelmente o será nos próximos 50 anos”, acrescentou o CEO.

Como a rival Microsoft, o Google é visto como uma empresa que aproveita sua predominância no mercado – as receitas do seu popular serviço de buscas – para desenvolver e oferecer diversos produtos complementares.

Schmidt admitiu em conversa com a imprensa na quarta-feira que a busca será a o suporte para todos os outros serviços que o Google lançará e que a companhia continua a trabalhar am algoritmos para tornar a busca mais eficiente, fácil e pessoal.

“Nosso modelo consiste em construir uma ótima busca e integrar todas as outras experiências ao seu redor”, disse Schmidt. “Isto parece ser o que os usuários querem”, acrescentou.

Segundo o CEO, são os usuário que vão definir os futuros serviços oferecidos pela empresa. “Os usuários finais estão direcionando isto tudo e ainda não estão satisfeitos”, enfatizou Schmidt.

Os serviços que partem da ferramenta de buscas central incluem o Google Book Search, Google Earth, Google Maps, Google Finance e Google Desktop, entre outros.

A companhia vem lançando tantos serviços com tanta rapidez que vem sendo alvo de críticos, que acham que ela está se estendendo demais.

Schmidt admitiu que a empresa enfrenta crescente pressão dos concorrentes, citando a Microsoft e o Yahoo como os principais rivais. Ele disse, contudo, que essa competição é saudável e ajuda a aumentar a receita para todos os participantes do mercado.

A empresa também pretende criar sua própria infra-estrutura de armazenamento e rede para suportar os novos serviços e garantir bom desempenho. Usuários criticaram a companhia porque alguns dos serviços adicionais, como o Google Desktop e a busca em dispositivos móveis funcionam mal ou simplesmente nem funcionam.

*Elizabeth Montalbano é editora do IDG News Service, em São Francisco.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail