Home > Notícias

Intel oficializa notebook de US$ 400

Empresa anuncia projetos Classmate PC, antes chamado de Edu-Wise, e "Conheça o PC", sem estipular prazos ou preços

Por Guilherme Felitti, repórter do IDG Now!

29/05/2006 às 12h45

Foto:

Empresa anuncia projetos Classmate PC, antes chamado de Edu-Wise, e "Conheça o PC", sem estipular prazos ou preços

A Intel formalizou nesta sábado (27/05) a introdução de dois projetos de inclusão social formulados pela empresa no mercado brasileiro. A oficialização do desktop de baixo custo no Brasil, conhecido no México pelo nome de "Conheça el PC", e do notebook educacional Classmate, chamado anteriormente de Edu-Wise, fazem parte do investimento da companhia no setor educacional.

O anúncio faz parte do projeto World Ahead, pelo qual, com investimento de 1 bilhão de dólares tanto na capacitação de educadores como no desenvolvimento de equipamentos de baixo custo, a Intel pretende atingir um bilhão de estudantes e preparar 10 milhões de professores nos próximos cinco anos em mercados em desenvolvimento.

O projeto "Conheça el PC" foi apresentado ao mercado com a introdução de 300 mil equipamentos no México no começo de abril, enquanto o notebook educacional, revelado sob o nome de Edu-Wise, foi revelado pelo presidente da Intel, Paul Otellini, em março.

A introdução, no entanto, foi a única certeza que a companhia ofereceu junto ao anúncio. Ambos os projetos não contam ainda com configuração, prazo para lançamento ou prazo definidos. "Antes mesmo de oficializar (esses dados), precisamos escolher um modelo de negócios, que, provavelmente, será diferente do empregado no México", afirmou Elber Mazzaro, diretor de marketing da Intel Brasil.

Mazzaro, porém, estipula que até os primeiros equipamentos de ambos os projetos deverão chegar ao mercado pela mão de integradores até o primeiro trimestre de 2007.
 
O anúncio do programa no Brasil coincide com a notícia de que o projeto do PIC, PC de baixo custo desenvolvido pela rival AMD, teria perdido a participação da Telefônica e atravessaria dificuldades de produção graças à baixa procura dos usuários.

"Usuários das classes C e D não têm computadores, mas sabem muito bem o que uma máquina precisa ter para atender suas necessidades. Equipamentos com limitações neste sentido frustram o usuário", critica Mazarro, que alega que o principal mote de ambos os projetos de inclusão é a capacidade do usuário modificar seu equipamento.

Mesmo sem definições pontuais sobre o projeto, Mazarro admite que a Intel conversou com o assessor especial do presidente Lula César Alvarez para a comercialização de ambos os modelos para o Governo Federal.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail