Home > Notícias

20% dos notebooks quebrarão nos primeiros anos de uso

Falhas mais freqüentes serão vistas nas placas-mãe e discos rígidos dos portáteis, segundo o Gartner

Por Ben Ames, para o Computerworld*

27/06/2006 às 14h29

Foto:

Falhas mais freqüentes serão vistas nas placas-mãe e discos rígidos dos portáteis, segundo o Gartner

Cerca de 20% de todos os notebooks de uso pessoal quebrarão ainda durante o seu tempo de vida útil, demandando um novo componente de hardware para que voltem a funcionar. A afirmação é do instituto de pesquisas Gartner.

Segundo o levantamento, a peça com defeito pode ser tão simples quanto a trava do portátil. Porém, para infelicidade dos usuários, as falhas mais freqüentes serão vistas nas placas-mãe e discos rígidos dos notebooks.

É verdade que os desktops sofrem do mesmo mal, embora esses equipamentos apresentem defeitos com menos freqüência. Entre os desktops comprados em 2005 e 2006, 5% devem apresentar problemas durante o primeiro ano de uso, enquanto 12% devem parar de funcionar em algum momento durante seus quatro primeiros anos de vida, conforme estimativas do Gartner. Na comparação, 15% dos laptops devem quebrar no primeiro ano de uso e 22% apresentarão defeito em quatro anos.

Nos últimos anos, telas quebradas eram o maior problema visto entre os usuários de notebooks, mas isso mudou, segundo Leslie Fiering, vice-presidente de pesquisas do Gartner. Ela diz que os fabricantes de computadores portáteis aprimoraram o “design” dessas máquinas, reduzindo a incidência de problemas com a tela a partir do uso de estruturas mais rígidas e ao manter um espaço maior entre o teclado e a tela quando o aparelho está fechado.

Paralelamente, no entanto, as placas-mãe têm ganhado complexidade. Os gerentes de TI costumavam facilmente substituir peças defeituosas em laptops, como modem ou cartão de interface. Mas essas peças atualmente estão integradas à placa-mãe, de forma que os especialistas são obrigados a trocar toda a placa para consertar o defeito em um simples componente.

Depois das placas-mãe e discos rígidos,  muitos dos problemas em notebooks terão relação com teclas desaparecidas ou líquido derramado sobre o teclado.

Apesar dos pesares, Leslie diz que os fabricantes de computadores pessoais têm produzido máquinas mais confiáveis. Há apenas dois anos, segundo a analista, entre 7% e 15% dos novos desktops apresentavam defeito, enquanto o número para laptops variava entre 20% e 28%.

Os avanços foram obtidos pela maior quantidade de testes dos componentes, de acordo com o Gartner, além das maiores penalidades aplicadas aos fornecedores de componentes defeituosos e a revisão dos equipamentos para prevenir problemas futuros.

Segundo o Gartner, foi bastante difícil chegar aos resultados desta pesquisa porque a maioria dos fabricantes se recusa a discutir temas como confiabilidade de seus equipamentos.

*Ben Ames é editor do IDG News Service, em Boston.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail