Home > Notícias

Com qual tecnologia eu vou?

DVDs de alta definição chegam às lojas, mas a falta de um padrão confunde os consumidores

MELISSA J. PERENSON/PCW-EUA

06/07/2006 às 13h23

Foto:

DVDs de alta definição chegam às lojas, mas a falta de um padrão confunde os consumidores

Depois de muito barulho e várias estréias adiadas, o DVD de alta definição chegou. Pena que em dois formatos incompatíveis: Blu-ray Disc e HD DVD. Isso significa que os compradores terão que pesar suas escolhas cuidadosamente enquanto esperam para ver qual tecnologia vai dominar esse mercado (se é que alguma delas terá a hegemonia).

A diferença mais significativa entre elas é o número de filmes que estará disponível. Blu-ray tem o apoio de seis estúdios de peso – todos os grandes, exceto a Universal (um dos três estúdios que suportam HD DVD – os outros dois, Paramount e Warner Brothers, suportam ambos os formatos).

A escolha do formato depende do que o usuário pretende fazer com o dispositivo. Os primeiros players para entretenimento e drives só de leitura de HD DVD destinam-se exclusivamente à exibição de filmes nesse formato. Os equipamentos Blu-ray Disc são, inicialmente, gravadores de dados centrados no computador, embora também executem os filmes Blu-ray Disc, que estavam prometidos para junho.

A oferta de aparelhos de DVD de alta definição deve crescer no final deste ano nos EUA. A plataforma Bluray, especialmente, tem um volume impressionante de ofertas a caminho, mas elas custarão quase o dobro dos dispositivos HD DVD comparáveis. Os primeiros Blu-ray deverão custar a partir de mil dólares. O HD DVD da Toshiba, o HD-A1, pode ser adquirido por 500 dólares nos EUA. Vale lembrar que a Microsoft oferecerá um drive HD DVD externo para seu videogame Xbox 360, enquanto que o esperado PlayStation 3, da Sony, terá um drive Blu-ray.

PC WORLD testou os primeiros modelos disponibilizados para essa nova geração de DVDs (quase todos sem previsão de lançamento no Brasil) e descobriu que eles estão à altura do barulho gerado.

A VEZ DO HD DVD

O primeiro tocador de HD DVD disponível, o HD-A1, da Toshiba (que deve ser lançado no país até o final do ano), consegue, ao mesmo tempo, impressionar e decepcionar.

Ele produziu vídeo extraordinariamente brilhante. A vantagem da alta definição é evidente, em  comparação com um DVD do mesmo filme com definição padrão convertida. No HD DVD, observamos maior profundidade, texturas faciais e tons de pele melhores nos atores, tratamento de luz superior e detalhes que, no DVD comparativo, eram apenas manchas. Mas o HD-A1 deixa a desejar em termos de design e execução mecânica. A unidade é volumosa, seus botões demoram a responder, o tempo que a unidade leva para executar depois que inserimos o disco parece interminável.

Além do mais, o controle remoto longo é difícil de manejar. Também tivemos acesso ao Qosmio G35-AV650 (da Toshiba, que custa 3 mil dólares), primeiro notebook com um drive HD DVD só de leitura. Disponível desde junho no mercado americano, é um modelo bem corpulento, com chip Intel Core Duo T2500 de 2GHz, 1 GB de RAM, 200 GB de armazenamento em disco rígido e monitor de 17 polegadas.

GRAVADO EM BLU-RAY

As primeiras ofertas Blu-ray – BDR-101A da Pioneer Electronics (cotado a mil dólares) e laptop AR Premium VGN-AR19G da Sony (3,5 mil dólares) – são mais direcionadas à gravação de vídeo e dados – não ao entretenimento doméstico. O atrativo da unidade para gravação de dados e vídeo é inegável: nos testes de PC WORLD, em aproximadamente  45 minutos conseguimos colocar cerca de 22 GB em um disco de gravação única, ou write-once (quase cinco vezes a capacidade de 4.7 GB de um disco DVD de camada única). A promessa de tanta capacidade em apenas um disco é sedutora, não só para armazenar vídeo e música mas também para otimizar backups de dados. Fazer cópias de segurança com o modelo da Pioneer vai demorar um pouquinho mais do que queimar cinco DVD-Rs de camada única, mas você economizará tempo em comparação com a mesma capacidade em DVD+R de dupla camada.
 
A Pioneer, porém, fez alguns sacrifícios para colocar o BDR-101A no mercado: ele não lê nem grava em CDs e sua velocidade de gravação em formato padrão de DVD é mais lenta do que com um gravador de DVD dedicado (8x DVD+R, contra 16x de um drive de DVD padrão, por exemplo). Também não grava em mídia BD 50 GB de dupla camada. Outra desvantagem: o drive, dirigido ao mercado de autoria profissional, não tem software para autoria em disco e gravação de pacotes.

Primeiro laptop com gravador Blu-ray, o VGNAR19G, da Sony, é claramente destinado a consumidores. Disponível em junho, a unidade, que pesa aproximadamente 4 quilos, veio com um drive de pré-produção, e por isso não testamos sua velocidade. Não houve problema em executar no portátil os discos que gravamos no Pioneer e vice-versa. A máquina traz chip Core Duo T2500 de 2 GHz, 1GB de memória DDR2, tela de 17 polegadas e sintonizador de TV e conector HDMI, o que a torna um sistema substituto para o desktop bem equipado, embora caro.

RESSALVAS NO CAMINHO

Os novos formatos oferecem algo mais do que os DVDs atuais, porém há mudanças previstas. Para começar, os primeiros tocadores Blu-ray Disc para entretenimento têm saída de 1080p, ao contrário da primeira geração de tocadores HD DVD. A 1080p produz seqüências de ação mais suaves do que a 1080i. As HDTVs mais recentes suportam 1080p, e a Universal e a Warner Brothers já codificam seus filmes HD para esse formato. A segunda geração de tocadores vai suportar 1080p, de acordo com o HD DVD Promotion Group, mas as datas de liberação não foram definidas.

Outro porém: para desfrutar da imagem HD com resolução máxima, você precisará de uma conexão High-Bandwidth Digital Content Protection (HDCP) sobre DVI ou HDMI. Qualquer HDTV com HDMI deverá estar coberta, mas não será o caso de muitos monitores de PC e aparelhos mais antigos que só têm DVI. Um elemento de proteção contra cópia de HD permite que os estúdios de Hollywood degradem a saída através de conexões de vídeo para 960 por 540 pixels – metade da resolução máxima de HD. A maioria dos estúdios diz que não fará isso no início, mas a capacidade existe. E não espere que nenhum dos lados vá liberar algum gravador para entretenimento antes do início de 2007.

Ainda há muitos fatores indefinidos para que se possa apontar um vencedor nesta guerra de formatos. Em termos de hardware, envolvimento de estúdios e especificações, o Blu-ray tem a dianteira. Entretanto, a vantagem de preço significativa do HD DVD pode decidir a questão. Se você não precisa ser o primeiro a possuir um tocador de filme HD ou não tem dezenas de gigabytes para arquivar, é melhor esperar um pouco para aderir ao DVD de alta definição.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail