Home > Notícias

PF inicia operação para prender quadrilha que roubava pela internet

Quadrilha utilizava spywares para roubar senhas de correntistas de vários bancos, principalmente da Caixa Econômica Federal

Por Redação do IDG Now!

23/08/2006 às 10h25

Foto:

Quadrilha utilizava spywares para roubar senhas de correntistas de vários bancos, principalmente da Caixa Econômica Federal

A Polícia Federal iniciou na manhã desta quarta-feira (23/08), a Operação Galáticos, com o objetivo prender integrantes de uma quadrilha envolvida com o desvio de dinheiro de contas bancárias utilizando a internet. De cordo com a Polícia Federal, foram emitidos pelo menos 70 mandados de prisão, que estão sendo cumpridos em Imperatriz, Maranhão, por 400 policiais federais.

A investigação, que iniciou em dezembro de 2004, descobriu que integrantes da quadrilha utilizavam softwares de spyware para capturar senhas bancárias de correntistas de vários bancos, principalmente a Caixa Econômica Federal. Estes programas eram disseminados através de e-mails  com mensagens falsas - conhecidos como spams - e também em sites de relacionamento como o Orkut.

Com os dados bancários em mãos, os criminosos realizavam transferências de valores para conta de "laranjas", faziam compras de produtos na web, recarga de celulares pré-pagos e pagamentos de boletos bancários. O esquema também contava com a participação de empresas da cidade de Imperatriz, no Maranhão, que recebiam parte dos valores desviados através da emissão de boletos bancários fraudulentos e utilizando sistema de pagamento online.

Os presos durante a operação serão indiciados pelos crimes de furto mediante fraude, formação de quadrilha, violação de sigilo bancário, interceptação telemática ilegal e lavagem de dinheiro.

A operação foi batizada em razão dos investigados se auto-intitularem como "Galáticos", as "estrelas" da cidade, fazendo uma referência aos jogadores do time de futebol do Real Madri, na Espanha, que são assim mundialmente conhecidos. Os criminosos consideravam-se estrelas por acreditarem que nunca seriam presos. Prova disso era a forma em que ostentavam os bens adquiridos de forma ilícita.

Os mandados de prisão e de busca e apreensão estão sendo cumpridos em Imperatriz por 400 policiais federais do Maranhão, Alagoas, Ceará, Paraíba, Rio Grande do Norte, Piauí, Tocantins, Pará e Pernambuco. A ação conta ainda com o apoio logístico e operacional do Exército Brasileiro.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail