Home > Notícias

Google oficializa serviço de buscas de livros no Brasil

Sem revelar bibliotecas pretendidas, número de obras envolvidas e investimento planejado, Google lança Pesquisa de Livros no Brasil

Por Guilherme Felitti, repórter do IDG Now!

24/08/2006 às 10h57

Foto:

Sem revelar bibliotecas pretendidas, número de obras envolvidas e investimento planejado, Google lança Pesquisa de Livros no Brasil

O Google inaugurou nesta quarta-feira (23/08) a interface em português do Google Book Search, seu serviço de buscas em livros.

Introduzido um ano e meio após começar a funcionar nos Estados Unidos, o Google Pesquisa de Livros chega ao país envolto no mistério feito pelo buscador quanto ao serviço.

Em encontro com a imprensa nesta quarta-feira (23/08), Marco Marinucci, diretor de desenvolvimento de parcerias estratégicas, afirmou ser "difícil fazer as contas de quantos livros estão em português" e alegou que o buscador tem interesse em bibliotecas nacionais, sem mencionar o nome delas.

Segundo Marinucci, o Google Pesquisa de livros obedecerá ao mesmo modelo empregado nos EUA, em que livros são fornecidos para digitalização após acordo com editoras, com número restrito de páginas reproduzidas e link para a loja online das empresas.

A lista de editoras divulgada pelo Google que participam publicamente do projeto conta com nomes já conhecidos, como Senac, e empresas ainda não anunciadas, como Grupo Planeta, BoiTempo e Grupo Oceano.

No futuro, o serviço deverá contar com atualizações de interface já planejadas para o Books Search, como a integração com o Google Maps para que o usuário encontre livrarias convencionais que vendam a obra.

A inauguração da Pesquisa de Livros não significa, necessariamente, que usuários conseguirão encontrar obras brasileiras apenas a partir desta semana - mesmo quando o serviço contava apenas com interfaces em outras línguas, já era possível encontrar livros online de autores brasileiros, como Machado de Assis.

Em abril, o presidente da Biblioteca Nacional, Muniz Sodré, afirmou que o buscador fez uma proposta informal de 10 milhões de dólares para a digitalização do acervo do órgão, maior da América Latina e sétimo do mundo.

No sentido contrário, o Google esclarece que nunca ofereceu fundos para quaisquer bibliotecas, mas "se oferece em ajudá-las na digitalização de seus trabalhos".

O projeto Book Search, do Google, prentede digitalizar livros de diversas editoras mundiais para que usuários buscam conteúdo interno por seu sistema de buscas, o que motivou amplas críticas de defensores de direitos autorais.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail