Home > Notícias

Cavalos-de-tróia mantêm escalada entre pragas no 2º tri, diz Panda

Estudo aponta que 88% das pragas no período participam de crimes digitais, com cavalos-de-tróia responsáveis por 54,4% dos ataques

Por Redação do IDG Now!

29/08/2006 às 11h02

Foto:

Estudo aponta que 88% das pragas no período participam de crimes digitais, com cavalos-de-tróia responsáveis por 54,4% dos ataques

Levantamento da empresa de segurança Panda Software afirma que 88% das pragas detectadas durante o segundo trimestre do ano tinham relação direta com crimes digitais.

O estudo confirma a tendência na participação cada vez maior de cavalos-de-tróia, spywares e bots entre as pragas detectadas, como indicativo do perfil dos hackers que formulam ataques, voltados para o lucro financeiros.

Cavalos-de-tróia aparecem como líderes entre as novas pragas, responsáveis por 54,4% dos malwares registrados no período. A cifra representa um leve aumento em comparação a média de 50% das pragas divulgada pela Panda para o primeiro semestre do ano.

Redes de PCs zumbis aparecem na segunda posição, com 16%, seguidas por backdoors, com participação de 12,1%, e worms, responsáveis por 4,9% dos malwares.

O levantamento da Panda ainda chama atenção para outras ameaças de segurança descobertas entre abril e junho. Entre phishing, a companhia alerta para novos métodos de infecção, como a exploração da rede social MySpace e a crescente presença de línguas que não o inglês em e-mails maliciosos.

A "crescente onda de pragas que seqüestram arquivos em busca de recompensas", chamados de ransowares, contou com 3 novos casos no período, o que, segundo a Panda, merece cuidados do usuário, como backups esporádicos e maior atenção no tratamento com possíveis pragas.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail