Home > Notícias

Serviço gratuito SpiralFrog expande catálogo musical com acordo com EMI

Após parceria com Universal, serviço que propõe download gratuito de canções baseado em anúncios online anuncia acordo com EMI

Por Jeremy Kirk, para o IDG Now!*

06/09/2006 às 11h11

Foto:

Após parceria com Universal, serviço que propõe download gratuito de canções baseado em anúncios online anuncia acordo com EMI

O SpiralFrog chegou a um acordo com a EMI Music Publishing, uma das maiores gravadoras do mundo, para usar suas músicas e letras para o serviço de download de canções programado para estrear em novembro em sua versão beta.

O SpiralFrog, que anunciou seu primeiro acordo com a Universal Music na semana passada, planeja oferecer download gratuito de canções, com o serviço apoiado financeiramente em propagandas.

"Este é apenas o começo das assinaturas com grandes gravadoras e publicadores de música para oferecermos seus catálogos para usuários do SpiralFrog", disse Neville Hobson, porta-voz do serviço.

O serviço é mais um entre diversas parcerias feitas entre companhias de tecnologia e gravadoras em um esforço para diminuir o mercado de download ilegal de canções, responsável, segundo as editoras, pelas quedas em seus lucros.

Com o contrato junto à EMI, a SpiraFrog poderá armazenar e reproduzir letras do catálogo da EMI, que conta com artistas como James Blunt, Eminem, Jay-Z e Arctic Monkeys.

Músicas baixadas no SpiralFrog carregarão a tecnologia de gerenciamento de direitos autorais (do inglês, DRM) Windows Media Auto, da Microsoft.

As gravadoras, porém, terão o poder de definir as restrições de como a canção pode ser usada, disse Hobson. O serviço planeja que as músicas poderão ser tocadas no PC do usuário e transferidas para até dois aparelhos móveis.

Os arquivos, no entanto, não poderão ser queimados em um CD, assim como compartilhados com outros usuários, disse ele. As músicas continuarão a tocar enquanto o usuário se autenticar em sua conta no SpiralFrog.

A escolha do formato WMA, da Microsoft, significa que as músicas não poderão ser executadas no player iPod, da Apple, que atualmente domina a indústria.

A grande participação da Apple no setor motivou competidores a experimentar outros modelos de negócios, como assinaturas mensais, que permitem que o usuário baixe centenas de músicas de uma vez caso pague uma taxa ao serviço, ou de músicas gratuitas, como o SpiralFrog, fundamentado nos anúncios online.

*Jeremy Kirk é editor do IDG News Service, em Londres.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail