Home > Notícias

P2P eDonkey fecha acordo com indústria musical por US$ 30 milhões

Popular serviço P2P concorda em encerrar atividades e pagar multa milionária para seis gravadoras por infração de direitos autorais

Por Nancy Gohring, para o IDG Now!*

14/09/2006 às 11h04

Foto:

Popular serviço P2P concorda em encerrar atividades e pagar multa milionária para seis gravadoras por infração de direitos autorais

Com o acordo do eDonkey para regularizar seu casos de infração de direitos autorais com a indústria musical, um dos últimos populares sites de compartilhamento P2P de música foi derrotado.

Em documentos entregues à Corte Distrital Norte-Americana de Nova York na segunda-feira (11/09), a companhia MetaMachine, fundadora e responsável pelo eDonkey, disse que pagará 30 milhões de dólares para gravadoras para retirar o caso. A companhia também concordou em não conduzir qualquer outro negócio que envolva cópia, distribuição e outras infrações de trabalhos com direitos autorais.

O acordo é anunciado pouco mais de um mês após a Sharman Networks, desenvolvedora do software de compartilhamento P2P Kazaa, concordar em pagar à indústria de entretenimento 100 milhões de dólares para retirar casos similares.

Entre as companhias de compartilhamento também a sucumbirem, destaca-se o Grokster, que parou de funcionar no ano passado após perder uma ação na Suprema Corte dos Estados Unidos.

O site do eDonkey agora reproduz um anúncio, similar ao usado pelo Grokster, informando aos visitantes que baixasse arquivos ilegalmente pode ser processado e alerta usuários de que não é possível fazer o download anônimo de canções, ao mostrar o IP de cada máquina.

O acordo do eDonkey será pago para as gravadoras Arista Record, Atlantic Recording, Capital Records, Elektra Entertainment Group, Sony BMG Group e UMG Recording.

O Lime Wire é um dos últimos populares softwares de compartilhamento de arquivos a continuar atuando, ainda que a empresa tenha sido advertida com uma notificação em agosto pedindo por danos na ordem dos 476 milhões de dólares.

No final do ano passado, o fundador do eDonkey previu o fim da indústria de compartilhamento ilegal de arquivos. Durante um discurso no Comitê Judiciário do Senado dos EUA, ele alertou que as companhias norte-americanas de P2P deixariam de existir por não terem recursos para se defenderem de decisões a favor das gravadoras classificadas como "vagas" no caso da ação contra o Grokster.

As gravadoras e estúdios de cinema gastaram os últimos anos carregando ataques contras os criadores de softwares de compartilhamento de arquivos, alegando que todos deveriam ser responsabilizados por infrações de patentes cometidas seus usuários.

Os desenvolvedores falharam em seus argumentos de que alertaram usuários para não transferir conteúdo protegido por direitos autorais e não deveria ser responsável pela ação dos usuários dentro do seu produto.

*Nancy Gohring é editora do IDG News Service, em Dublin.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail