Home > Notícias

Falhas exploradas em browsers crescem no 1º semestre de 2006

Mozilla tem aumento de 17 falhas e Internet Explorer de 25 em relação ao segundo semestre de 2005, revela pesquisa da Symantec

Por Robert McMillan, para o IDG Now!*

25/09/2006 às 15h52

Foto:

Mozilla tem aumento de 17 falhas e Internet Explorer de 25 em relação ao segundo semestre de 2005, revela pesquisa da Symantec

Nos primeiros seis meses do ano, hackers encontratam 47 bugs nos browsers da Mozilla e 38 no Internet Explorer, da Microsoft. O montante revela um aumento de 17  falhas nos browsers da Mozilla  (aumento de 56,6%) e de 25 no IE  (alta de 192%), em relação ao segundo semestre de 2005, revela a pesquisa Internet Security Threat Report da Symantec.

O browser Safari, da Apple, registrou o dobro de bugs em um ano - de seis na segunda metade de 2005 para 12 nos primeiros seis meses de 2006.

O Opera foi o único navegador avaliado pela Symantec que teve uma ligeira queda no número de falhas - de nove para sete.

Embora o IE ainda seja a escolha mais popular para ataques de segurança, o relatório mostra que nenhum browser está seguro. Segundo o relatório, 31% dos ataques registrados na última pesquisa da Symantec estavam direcionados a mais de um browser e 20% ao Firefox, da Mozilla.

"Se você usa browser certifique-se de que ele esteja configurado corretamente", aconselhou Vincent Weafer, diretor sênior da Symantec Security Response.

Tanto empresas como usuários residenciais são alvos de vulnerabilidades exploradas em navegadores, mas os consumidores domésticos são as vítimas em 86% dos ataques, diz a Symantec.

Os Estados Unidos são a maior fonte dos ataques online graças ao alto número de máquinas com acesso à internet em banda larga, avalia Weafer. Segundo ele, 37% de todos os ataques online são gerados nos Estados Unidos.

Embora mais bugs tenham sido identificados nos browsers da Mozilla do que nos da Microsoft, a Symantec deu melhores notas ao trabalho de correção nos browsers de código aberto. A equipe do Opera ficou em segundo lugar com uma média de dois dias para apresentar correções para seus bugs. O Safari ficou em terceiro com um tempo de resposta de até cinco dias e a Microsoft em quarto lugar com uma média de nove dias de divulgação de correções.

Em relação a sistemas operacionais, segundo o relatório, a Microsoft é a mais rápida nas correções. A mais lenta foi a Sun Microsystems.

* Robert McMillan é editor do IDG News Service, em São Francisco

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail