Home > Notícias

União Européia elogia redução do controle dos EUA sobre ICANN

Comissão Européia classifica como "boa notícia" novo acordo, apontando para um provável último pacto antes da total autonomia do ICANN

Por Paul Meller, para o IDG Now!*

02/10/2006 às 14h20

Foto:

Comissão Européia classifica como "boa notícia" novo acordo, apontando para um provável último pacto antes da total autonomia do ICANN

A Comissão Européia recebeu bem os esforços dos Estados Unidos para libertar o ICANN, o gerenciador de domínios na internet, de seus laços históricos com o governo dos Estados Unidos nesta segunda-feira (02/10).

O Departamento de Comércio dos Estados unidos manterá sua supervisão da Organização da Internet para Designação de Nomes e Números (da sigla em inglês, ICANN) por mais três anos sob o novo acordo que começou a valer no começo deste mês.

O novo acordo, anunciado na última sexta-feira (29/09), garante ao ICANN mais liberdade do governo norte-americano, mas impede sua total privatização, o que muitos dentro da indústria de internet desejavam.

O porta-voz da Comissão Européia Martin Selmayr disse que o Departamento de Comércio dos EUA deu "claras indicações que o acordo de três anos entre o ICANN e o governo seria o último do gênero".

"Esta é uma boa notícia. No ano passado, houve dúvidas se o EUA iria privatizar o ICANN", disse Selmayr.

O novo acordo, que valerá até 2009, é sujeito a revisões em 18 meses. Se O Departamento de Comércio concluir que o ICANN está estável, transparente e confiável o suficiente, poderá dar ao órgão não-governamental total autonomia imediatamente, disse o órgão federal em um anúncio nesta sexta-feira (29/09).

Em uma promessa para a total autonomia, o governo dos EUA formatou o acordo de 3 anos para ajudar a pavimentar o caminho para a independência do ICANN. A partir de agora, o órgão determinará como e com o que trabalhará, disse o ICANN.

O ICANN não precisará enviar relatórios semestrais para o Departamento de Comércio. Ao invés disto, terá que elaborar um documento anual para que apreciação pública.

Muitos analistas argumentam que o envolvimento do governo dos EUA no ICANN está freando o desenvolvimento internacional da internet e deveria ser descartado sem demora. Outros alegam que o ICANN não está pronto para se manter como autônoma.

Sob este ponto de vista, a organização não provou ainda que pode lidar com o gerenciamento de domínios por si só, e, caso o governo se retire imediatamente, a estabilidade e segurança da internet poderiam estar comprometidas.

*Paul Meller é editor do IDG News Service, em Luxemburgo.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail