Home > Notícias

Google anuncia alianças com Warner e Sony para vídeos online

Acordo permitirá a oferta gratuita - suportada por anúncios - de videoclipes de artistas das gravadoras pelo Google Vídeo

Por Redação do IDG Now!

09/10/2006 às 14h50

Foto:

Acordo permitirá a oferta gratuita - suportada por anúncios - de videoclipes de artistas das gravadoras pelo Google Vídeo

O Google anuncia nesta segunda-feira (09/10) duas alianças para ampliar seu acervo de vídeos online. A companhia fechou acordos com a Warner Music Group e com a Sony BMG Music Entertainment para prover aos usuários do serviço Google Vídeo acesso gratuito a videoclipes de artistas das gravadoras, além de materiais exclusivos, como entrevistas e vídeos de bastidores.

Os vídeos, disponíveis em streaming, serão suportados por anúncios e, em breve, também serão distribuídos por meio da rede AdSense, de sites parceiros em anúncios do Google. Além disso, os usuários terão a opção de adquirir vídeos da Warner via download. Cada vídeo custará 1,99 dólar. O Google e as gravadoras vão dividir a receita gerada pelos anúncios vinculados aos vídeos.

Outro recurso que deve ser oferecido em breve, segundo o Google, é a possibilidade de que os internautas utilizem trechos dos materiais da Warner e da Sony nos próprios vídeos que publicam no Google Vídeo, sem ferir os direitos autorais.

O anúncio ocorre logo após o Wall Street Jounal ter reportado, na última sexta-feira, que o Google estaria negociando a compra do You Tube, site de vídeos mais popular da web, para reforçar sua estratégia para o segmento. De acordo com o jornal, o Google estaria disposto a 1,6 bilhão de dólares pela companhia.

Em setembro, o You Tube ficou com quase 46% de todas as visitas a sites de vídeo na web, enquanto a seção de vídeos da rede social MySpace.com ficou em segundo, com 21,2% do segmento, segundo a Hitwise. O Google Vídeo ficou apenas em terceiro, com 11%, seguido pelo MSN Video (6,8%) e pelo Yahoo Vídeo (5,6%).

O You Tube, em uma típica abordagem das companhias estreantes, endereçou o mercado com agressividade, abrindo o serviço a quem quisesse publicar seus vídeos, sem nenhum custo. O site se tornou um fenômeno, em pouquíssimo tempo, e abraçou recursos como o uso de tags e compartilhamento, criando a mais popular comunidade de vídeos da web.

Neste meio tempo, o Google apostou em uma abordagem mais conservadora, exibindo apenas vídeos obtidos por meio de acordo formais com produtores profissionais. Consequentemente, muitos dos seus usuários tinham que pagar para assistir aos vídeos. Mais tarde, o site passou a permitir o upload de vídeos por usuários comuns, mas manteve um polícia de fiscalização das imagens submetidas. Só muito recentemente o serviço foi amplamente aberto, com recursos de tags e compartilhamento.

O Yahoo, a Microsoft e a AOL também estão se movimentando para alcançar o You Tube, adotando o mesmo modelo do estreante para tentar obter êxito. O motivo de todo este alvoroço é que a audiência dos sites de vídeo vem crescendo. O tráfego nos dez maiores sites de vídeo da web, entre fevereiro e março, aumentou 164%, o que, obviamente, atrai a atenção dos anunciantes responsáveis pela receita destas companhias de internet.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail