Home > Notícias

Canon lança quatro modelos de câmeras de 10 megapixels

Ao contrário dos suas concorrentes, a Canon preparou um modelo de 10 MP para cada uma das suas linhas de produtos, desde o amador até o semi-profissional

Por Mário Nagano, da PC WORLD

17/10/2006 às 17h53

Foto:

Ao contrário dos suas concorrentes, a Canon preparou um modelo de 10 MP para cada uma das suas linhas de produtos, desde o amador até o semi-profissional

A Canon Latin America anunciou nesta terça-feira (17/10) a chegada de oito novas câmeras digitais no mercado brasileiro, sendo quatro delas de 10 megapixels (MP). Este atributo aliado ao estabilizador de imagem e ao novo processador  Digic III representam as principais novidades desses lançamentos.

Segundo Roberto Sandrini, especialista de produtos da Canon do Brasil, acreditava-se que, depois da coqueluche das câmeras de 8 MP, em 2003, e o posterior recuo para os modelos de 7.1 MP no ano seguinte, a corrida dos megapixels havia acabado. Para ele, seria despertado o interesse por outros recursos.

O problema é que nenhuma outra característica adquiriu apelo de venda tão forte como o megapixel, que chega a ser descrito como um símbolo de status entre os consumidores. "Se a Canon não fosse para os 10 MP alguém iria com certeza", concluiu Sandrini.

Junichi Asama, diretor de marketing da Canon Latin America, comentou que em mercados mais maduros, como EUA e Japão, itens como recursos, desenho e segmentação começam a ser mais valorizados pelos consumidores. Já em países como o Brasil, o preço é o principal atrativo depois dos MPs.

De qualquer modo, existem vantagens no uso de 10 MP. A maior delas é o alto nível de detalhamento da imagem, que permite tirar proveito de partes da imagem sem perda de qualidade de imagem — semelhantemente ao que se fazia no passado com os tradicionais filmes.

Ao contrário dos suas concorrentes, a Canon preparou um modelo de 10 MP para cada uma das suas linhas de produtos, desde o amador até o semi-profissional.

A série A ganhou o modelo A640 (1.999 reais), uma digital equipada com objetiva Zoom de 4x, sensor AiAF de nove pontos, 21 modos de disparo e tela LCD de 2,5" de base articulável (vari-angle), que pode ser fechada para dentro da câmera.

Pelo mesmo preço o usuário pode optar pela A710 IS, equipada com sensor de 7.1 megapixels e estabilizador de imagem, recurso ainda raro em modelos de entrada. Complementa essa linha o modelo A630 (1.699 reais), que seria uma versão da A640 com sensor de 8 MP.

Para aqueles que procuram uma combinação de facilidade de transporte e requinte, a Canon lança três novos modelos Digital Elph: a SD900 de 10 MP (2.499 reais), SD800 IS de 7.1 MP (2.199 reais) e o o caçula da família, a SD40 de 7,1 MP e disponível em quatro cores diferentes (1.899 reais).

Esses três modelos já vêm equipados com o novo processador de imagem Digic III que, além de oferecer melhor desempenho que seu antecessor (ainda presente na linha A) incorpora recursos inusitados como o Face Detection AF, capaz de reconhecer detalhes da face humana (entenda-se os dois olhos, nariz e as sombrancelhas) e, assim, determinando seu ponto de foco. A partir desse ponto a câmera também calcula a exposição correta, evitando assim que a face fique subexposta ou superexposta.
 
O Digic III permite também trabalhar com escalas de exposição bastante elevadas (até ISO 1600) com ótimo controle sobre o nível de ruído da imagem. Esse recurso, combinado com o sistema redutor de ruido (NR System) e o estabilizador de imagem permite fazer fotos de qualidade em condições bastante desfavoráveis de iluminação sem o uso de flash. No caso da SD900, o Digic III ainda tira proveito do sensor de 10 MP para tirar fotos na escala ISO 3200.

Entre os modelos topo de linha, a Canon relança a linha PowerShot série G com o modelo G7 (2.799 reais), também de 10 MP, que procura atender aos profissionais e entusiastas que buscam por uma câmera sofisticada de visual retrô bem ao estilo das clássicas, com visor de telêmetro dos anos 60 e 70.

Equipado com uma generosa tela LCD de 2,5", lente zoom de 4x (equivalente a uma lente de 35~210mm/f2,8~4,8 em sistemas 35mm), a G7 incorpora muitos dos recursos das Digital Elph além de aceitar alguns acessórios da linha EOS, como as linha de flashes Speedlite.

Eliminando a poeira

Finalmente, a Canon anunciou a chegada de mais um modelo DSLR (Câmera Reflex Digital) de entrada da linha Digital Rebel. Batizada de EOS XTi, a câmera vem com sensor CMOS de 10 MP, tela LCD de 2,5", processador de imagem Digic II, sensor com 9 pontos de foco e total compatibilidade com as lentes Canon série EF e EF-S, com fator de corte de 1:6.

Apesar disso, o grande atrativo da XTi são seus novos recursos que procuram eliminar o problema de contaminação da caixa do espelho e do sensor de imagem por poeira, um problema que interfere na qualidade de imagem e amaldiçoa muitos usuários de DSLR desde o surgimento da reflex digital.

De fato, a Canon tenta minimizar esse problema combinando três soluções diferentes: o uso de material antiestático nas câmara do espelho que naturalmente repele a poeira, um filtro protetor na frente do sensor que vibra em alta frequência toda a vez que a câmera é ligada (o que faz com que o pó se precipite sobre uma base recoberta com adesivo) e um algoritmo de software que identifica e mapeia as áreas "sujas" do sensor corrigindo a imagem final.

O preço sugerido da nova Rebel XTi é de 4.999 reais com uma lente zoom EF 18-55 mm.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail