Home > Notícias

Microsoft divulga ferramenta contra spyware com contestações de rivais

Empresa divulga versão final do Windows Defender enquanto McAfee e Sophos divergem sobre acesso ao kernel do Windows Vista de 64-bits

Por James Niccolai, para o IDG Now!*

25/10/2006 às 10h38

Foto:

Empresa divulga versão final do Windows Defender enquanto McAfee e Sophos divergem sobre acesso ao kernel do Windows Vista de 64-bits

A Microsoft divulgou a versão final da sua ferramenta anti-spyware Windows Defender nesta terça-feira (24/10), enquanto rivais do ramo de segurança discutem se a companhia tem dado acesso suficiente do Windows Vista para o desenvolvimento de produtos competidores.

O lançamento da versão final sugere que a Microsoft vê que o Windows Defender está suficientemente estável e sem bugs para uso em massa. A versão final corrigiu cerca de 400 falhas presentes no Beta 2 do produto, lançado em fevereiro. As versões Beta do programa foram baixadas mais de 34 milhões de vezes, contou uma porta-voz da Microsoft.

Junto à correção de falhas, clientes usando as versões XP e 2003 do sistema Windows ganharam duas ligações gratuitas para o suporte do Windows Defender. O produto não é compatível com o Windows 2000, já que o suporte para o sistema acabou em junho, disse a Microsoft.

O software já está disponível gratuitamente apenas em inglês no site da companhia, que afirmou que deverá oferecer versões em inglês, alemão, japonês e outros em "pouco tempo".

O Windows Defender também estará incluído no novo produto antivírus da Microsoft, o Windows OneCare, que começou a ser vendido online em junho por assinatura anual de 49,95 dólares.

Fabricantes de segurança vêm enfrentando com ironia e preocupação a entrada da Microsoft em seus mercados. Antigas rivais, Symantec e McAfee disseram que estão sendo trancadas para fora do kernel da versão 64-bits do Windows Vista por uma nova ferramenta de segurança chamada PatchGuard.

A Microsoft firmou seus pés ao não oferecer acesso total ao kernel, o que, segundo as fabricantes, podem impedir o desenvolvimento total de pacotes de segurança rivais da empresa de Bill Gates.

A expert em segurança da Microsoft Sandi Hardmeier, que tem o blog "Spyware Sucks", acha que nem Symantec nem McAfee desenvolveram seus produtos com o Windows Vista de 64-bits em vista.

"Tenho que concordar com este argumento. Caso McAfee e Symantec trabalhassem um pouco mais nos códigos ao invés de se procurar em brigar, talvez elas chegassem em algum lugar", escreveu ela em seu blog.

Hardmeier argumentou que McAfee e Symantec deveriam mudar a maneira como codificam seus produtos ao invés de confiar cegamente no acesso ao kernel do Vista. Apenas o desenvolvimento de uma nova estrutura em antivírus permitirá que clientes estejam completamente protegidos, disse.

Na terça-feira, a McAfee revidou aos argumentos da Sophos, que concorda com Hardmeier, afirmando que a empresa não precisa ter acesso ao kernel por contar com produtos menos sofisticados.

"Empresas com uma única linha de produtos, como a Sophos, não terá problemas com a Microsoft. No entanto, por uma empresa inovadora como a McAfee, que oferece proteção ampla para usuários, o acesso total e sem censura ao kernel é vital para proteger usuários", disse a companhia em nota.

Não é necessário afirmar que a Microsoft vem apreciando a briga de longe.

"Nós reconhecemos que isto é uma jogada de marketing. Mas é uma estratégia de marketing pela qual eu posso dar risada" escreveu, ironicamente, o diretor da unidade de Tecnologia de Segurança da Microsoft, Jeff Jones, em seu blog.

*James Niccolai é repórter do IDG News Service, em Paris.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail