Home > Notícias

A história do PC nas propagandas de TV

Os computadores pessoais evoluem a cada dia e quase não existe tempo para sua breve história ser contada. Contudo, os comerciais produzidos para divulgar os produtos ajudam a entender a evolução dos PCs

Harry McCracken – PCW/EUA

30/10/2006 às 18h07

Foto:

Os computadores pessoais evoluem a cada dia e quase não existe tempo para sua breve história ser contada. Contudo, os comerciais produzidos para divulgar os produtos ajudam a entender a evolução dos PCs

Dizem que um americano médio terá visto cerca de dois milhões de comerciais de TV quando tiver 56 anos. Fazendo umas contas rápidas aqui na minha cabeça, acredito ter visto um numero terrivelmente grande de comerciais para PCs e produtos relacionados a tecnologia nos últimos 26 anos. E talvez você também esteja na mesma situação.

Uma das coisas mais fascinantes do YouTube é que seus usuários fizeram uploads de uma ótima porcentagem desses comerciais no site, incluindo os exemplos famosos e os obscuros. Assista alguns (o suficiente, digamos assim) na ordem certa e você verá uma pequena história do PC na vida americana. Foi isso recentemente e, graças ao YouTube, você pode fazer o mesmo. Primeiro, algumas perguntas feitas com freqüência:

P – Onde está o meu comercial favorito sobre computador?
R – É da Apple, certo? A mentalidade marqueteira da Califórnia dominou de tal forma os comerciais para produtos de PC que foi incluso tudo de significante da Apple aqui, e ainda tem mais deles nesta lista do que os de qualquer outra empresa. O que explica porque essa pequena sessão nostalgia está cheia de coisas como as propagandas "What's on Your Powerbook?” e silhuetas dançantes de iPod. Fora que havia alguns comerciais a serem incluídos, mas que não foram encontrados, como o do IBM PC Jr.

P – Onde está o “Cara, você está comprando um Dell?”
R – Infelizmente, não foi possível encontrar o trabalho de Ben Curtis para publicar no YouTube ou do Google Vídeo. Talvez o Michael Dell tenha preferido esquecer a coisa toda e pediu que tudo fosse removido. Ele de fato não tem culpa.

P – Por que há tantos comerciais antigos?
R – Ei, os PCs não são de hoje! Os computadores são sucatas! As pessoas estão com penteados, roupas e óculos que não estão mais na moda! Um dos comerciais mostra o Willian Shatner. A década de 1990 foi mal servida de propagandas de computador. Se o Steve Jobs não tivesse retornado à Apple, dificilmente teríamos visto sequer um bom comercial.

P – De onde esses comerciais vêm?
R – Até onde é possível saber, dos EUA. Regra número um dos comerciais europeus de computador: eles são obscenos demais para a televisão americana. Com isso, veja a seguir alguns comerciais de TV, vinte e sete deles (dois relacionados ao Windows não são exatamente comerciais de TV), numa ordem cronológica aproximada…
++++
Atari 400Atari 400 (aproximadamente em 1980): No início, as empresas de computador não supunham que os consumidores sabiam a razão de querer um PC. Os primeiros comerciais focavam na idéia de que os computadores tornavam as crianças mais inteligentes, seja através de vinhetas alegres ou historinhas com avisos. Eis aqui um comercial do famoso Atari 400. Assista agora

Comodore VIC ACommodore VIC-20 (mais ou menos 1981):
Esse comercial para o computador super barato da Commodore foi um dos muitos de sua época que tentaram desdenhar os jogos de computador e explorar o produto como sendo um ótimo meio de jogá-los. Assista agora

Mais VICMais VIC-20 (mesma época): O mesmo assunto do comercial acima, exceto pelo Willian Shatner! Durante os anos em que ele ainda não era uma estrela de TV! Com referência ao GORF, como sendo um “maravilhoso jogo de arcade”. Assista agora

Comodore VIC CCommodore 64 (aproximadamente 1982): Esse foi escolhido pelas participações especiais que os outros computadores fazem – um Apple II, um IBM PC e um Radio Shack TRS-80 Model III. Perceba como o comercial sugere que o Apple II é um rude PC de texto monocromático, enquanto que o Commodore 64 possui impressionantes gráficos coloridos (em 1982, esses gráficos eram bons o suficiente para serem considerados impressionantes). Assista agora

Comodore VIC BCommodore 64 (também por volta de 1982): Você tem razão de já estar cansado de ver os comerciais do Commodore aqui. Mas saber que seu filho será expulso da faculdade se ele não tiver um Commodore 64 é um alerta ameaçador ou uma exótica piada de mau gosto. Assista agora
 
Coleco ADMColeco ADAM (por volta de 1983): Outra propaganda envolvendo o potencial educacional dos computadores caseiros, com o computador que provou que era muito fácil fabricar brinquedos do que PCs. Assista agora

Texas InstrumentsTexas Instruments 99/4A (1983): A Texas Instrumet era uma empresa de respaldo que perdeu muito dinheiro fazendo computadores caseiros verdadeiramente medíocres. Então, talvez tenha sido apropriado colocar o Bill Cosby, uma figura onipresente nos anos 1980, falando pouco sobre o 99/44A, e mais do desconto de US$ 100 na hora da aquisição. Assista agora

KayproKaypro II (1984, possivelmente): Tirando o fato de ter sido feito para um computador que você jamais imaginaria ver em uma propaganda na TV, a coisa mais curiosa sobre esse comercial é que ele foi produzido por Joe Sedelmaier, que dominou os comerciais publicitários nos EUA na década de 1980. Neste aqui a Clara Peller não aparece, mas por questões de sabedoria, deveria ter aparecido. Assista agora

Apple 1984Macintosh Apple "1984" (1984, obviamente): Sem sombra de dúvidas o comercial de computador mais famosos de todos os tempos. Dirigido por Ridley Scott, odiado pelos diretores da Apple e exibido somente uma vez em cadeia nacional (durante o Super Bowl), ele foi considerado o melhor comercial de TV de todos os tempos. Ainda hoje é fascinante. Nenhum blog sobre comerciais de computador está completo sem ele. Assista agora
++++
IBM ChaplinPersonal Computer da IBM (1985): Enquanto os comerciais da Apple sugeriam que o IBM PC era orwellniano, a gigante azul o mostrava como sendo chaplinesco. Senhoras e senhores, a maior estrela da comédia muda – ou pelo menos um sósia convincente – em um dos comerciais que ajudaram a fazer dos computadores IBM um hit histórico. Assista agora

Windows BalmerWindows 1.0 (meados dos anos 1980): Não parece ser exatamente uma propaganda, mas sim a paródia de uma propaganda para uso interno na Microsoft, estrelando o jovial Steve Ballmer e uma pré-histórica edição do Windows em modo “infomercial”, aparentemente alertando para sua aparição mais adiante no vídeo da dança do macaco. Assista agora

amigaAmiga 1000 (1985? 1986? Talvez 1987?): Infelizmente este comercial não fez um bom trabalho na hora de exibir as capacidades multimídia daquele que é, inquestionavelmente, o PC mais multimídia desta era. Assista agora

TandyTandy 1000 (aproximadamente 1987): O TRS-80 fez um certo sucesso nos colégios, mas nem todas as primeiras máquinas da Tandy tinham propagandas na TV. Aqui está um indescritível comercial para um indescritível computador Tandy. Assista agora

PS2 IBMPS/2 da IBM (1988): Nesta época, a IBM já tinha se livrado do sósia do Chaplin. Neste comercial, o mal fadado PS/2 é apresentado por algumas estrelas do elenco do antigo seriado M*A*S*H. Segundo a Wikipedia, essa campanha foi um fracasso tão grande que pesou na hora da IBM decidir desligar as suas agências publicitárias globais. Assista agora

Apple II 1990Apple II (1990?): Esse comercial da Apple – provavelmente para o IIC Plus – é tudo o que os comerciais da Apple não são: estúpido, repetitivo (é um daqueles que afirmam tornar seus filhos mais espertos) e antiquado. Mas foi o único achado que foi possível colocar aqui. (Aqui estão alguns mais antigos, incluindo um com Dick Cavvet, um homem nascido para fazer comercias de computador nos anos 1980). Assista agora

Apple PowerbookApple PowerBook (1991): Este é o pior comercial já produzido pela Apple. Está nesta lista somente porque é fascinante ver a Apple lançar sua inovadora linha de notebooks com uma propaganda que parecia mostrar o sistema mais como uma máquina para DOS do que como um verdadeiro Mac. Assista agora

NewtonApple Newton (1993?): Alguns dos comerciais da Apple feitos durante o exílio de Steve Jobs ficaram muito ruins, soando como imitações desafinadas dos trabalhos que ele encabeçou. Este é um exemplo. Impossível imaginar o Jobs usando um ator vestido de Isaac Newton para anunciar lançamento Newton PDA. Assista agora

Think PadIBM ThinkPad 701C (quase certamente em 1995): O exótico e inventivo ThinkPad com teclado de armação “tetris” da IBM teve um comercial, também exótico, com Paul Reiser. Assista agora

Windows 95Windows 95 (1995, lógico): Não é um comercial, mas sim um vídeo incluso no CD-ROM do Windows 95. Ele está nessa lista por dois motivos: 1) é uma ótima animação feita por Bill Plympton; 2) não foi possível encontrar o famoso comercial com a música "Start Me Up” dos Rolling Stones. Assista agora

Packard BellPackard Bell (supostamente 1996): É quase certo que as pessoas que fizeram esse comercial eram fãs do “1984” Mac da Apple. Neste os vilões são os bibliotecários, e o computador em questão nem é o revolucionário Mac original, mas um clone que não inspira nenhuma confiança. Assista agora

IBM (1996): Este comercial parece ter sido feito para os serviços IBM ao invés do PC original, uma fato um pouco triste. Quem adivinharia que você poderia deixar o Spinal Tap tão sem graça? Assista agora

Think Different"Think Different" da Apple (1998): Você pode dizer que ele é pretensioso (e ele é). Pode dizer ainda que nem Picasso, Maria Callas ou Amélia Earhart jamais tocaram num computador na vida (verdade também). E você também pode ter que procurar no Google para descobrir quem é o narrador (é Richard Dreyfuss). Tirando o fato de sequer mencionar computadores, este também é considerado um dos maiores comerciais do ramo. Assista agora

Imac 80iMac (1998): Mesmo quando os computadores da Apple não são uma coisa de outro mundo, os comerciais são muito bons. E este aqui, que popularizou a idéia dos computadores multicoloridos, fez melhor uso da uma música dos Rolling Stones, do que a campanha  do Windows 95 com “Start Me Up”. Assista agora
 
Pets 80Pets.com (2000): É possível fazer uma completa retrospectiva dos comerciais do Super Bowl feitos por empresas ponto-com, que gastaram enormes quantias de dinheiro no mais caro horário da televisão americana. Por enquanto, fique com o boneco de meia da Pets.com e sua versão de "If You Leave Me Now". A Pets.com gastou US$ 1,2 milhão neste comercial que foi ar no Super Bowl em janeiro. Em novembro a empresa entrou em colapso. Assista agora

Windows XPWindows XP (2001): Pessoas voando, uma música da Madonna e a forte idéia de que o Windows Movie Maker é um dos mais avançados atributos do novo sistema operacional. Assista agora

Apple SwithApple "Switch" (2002): Muitos comerciais de computadores usaram celebridades (geralmente as mais caras). Mas será que Ellen Feiss é a única garota propaganda que se tornou uma celebridade? Sua aparição na campanha “Switch” da Apple inspirou uma febre na internet sobre adolescentes parecidas com a solitária de 15 anos, exceto pelo fato de que Ellen era real.  Especula-se muito se ela estava sob efeito de alguma, substância durante a gravação (ela afirma não ter tomado nada mais forte do que Benadryl). O comercial apresentado aqui é o menos conhecido que Ellen Feiss gravou, e que segundo algumas fontes, nunca foi ao ar. (Eis aqui mais alguns comerciais da campanha "Switch"). Assista agora

Linux IBMLinux IBM (2004): Se este comercial (também veiculado durante o Super Bowl) tivesse um logo da Apple no final, poderia se passar facilmente por uma campanha do Mac (afinal, a campanha do “Pense Diferente” também tinha o Mohamed Ali). Mas a propaganda é da IBM, e aparentemente explora os serviços e programas Linux da empresa. Assista agora

Mac 80"Get a Mac" da Apple (2006):
Uma propaganda inevitável. Esta é de uma série mais recente, mas mesmo com toda a trajetória dos comerciais de computador, o mote dessa campanha – de que PCs são chatos e desagradáveis e que os Macs são legais – não difere muito das idéias de vinte anos atrás. Assista agora

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail