Home > Notícias

Analistas dizem que Zune não ameaça iPod nas vendas de final de ano

Vendas do Zune tem sido tímidas e as primeiras avaliações do produto também não foram nada brilhantes, segundo os analistas

Por Elizabeth Montalbano, para o IDG Now!*

29/11/2006 às 16h10

Foto:

Vendas do Zune tem sido tímidas e as primeiras avaliações do produto também não foram nada brilhantes, segundo os analistas

Analistas financeiros que observam o mercado de eletrônicos de consumo reportaram que as vendas iniciais do novo player da Microsoft, o Zune, não devem causar preocupações ao rival iPod, da Apple, pelo menos para esta temporada de compras de final de ano.

Desde sua estréia no varejo, em 15 de novembro, as vendas do Zune tem sido tímidas, segundo os analistas. As primeiras avaliações do produto também não foram nada brilhantes.

Segundo uma nota de pesquisa publicada na terça-feira (28/11) pelo analista PiperJaffray, da Gene Munster, apenas 8% dos 40 varejistas ouvidos pela empresa recomendam o Zune para os clientes, enquanto 75% recomendam o iPod.

Além disso, alguns vendedores de MP3 sequer ouviram falar no Zune, embora o aparelho esteja sendo vendido nas suas lojas, reportou o analista.

Declarações de funcionários das lojas citadas no relatório de Munster vão desde aqueles eu desconhecem o produto até os que dizem que o Zune é uma boa opção para quem não o usa o iTunes, software da Apple. Um atendente citado no relatório chega a dizer que não recomenda o Zune porque ele é “muito pesado”.

O Zune também não se destacou contra o iPod ou outros tocadores nem mesmo na sua semana inaugural de vendas, quando estava no auge da evidência.

Segundo o relatório de Munster, durante a sua semana de lançamento, o Zune ficou apenas com a sétima posição na lista dos 10 tocadores de MP3 mais vendidos na Amazon.com e caiu para 13º colocado apenas cinco dias após o lançamento, em 20 de novembro.

“O burburinho que a Microsoft conseguiu gerar em torno do lançamento do Zune claramente ajudou o player na primeira semana, mas grande parte da publicidade se deu na forma de comparações do Zune com o iPod”, escreveu Munster. Ele acrescentou que estas comparações mostram que o Zune “falhou em se equiparar na visão de grande parte dos analistas” ao iPod, fato que afetou negativamente as vendas do dispositivo.

O analista do Deutsche Bank, Chris Whitmore, escreveu na segunda-feira que o iPod continua forte em vendas na temporada de fim de ano e que a versão de 30GB do player da Apple - que compete com o Zune - “parece imune” ao rival.

Uma nota sobre o desempenho da Apple do analista Ben Reitzes, da empresa de análise financeira UBS IT, diz que o Zune não parece apresentar qualquer ameaça ao iPod neste momento.

A Apple conta, obviamente, com uma vantagem de cinco anos no mercado de players digitais de áudio e vídeo, portanto ninguém esperava que na sua primeira ofensiva no seguimento, a Microsoft fosse alcançar de imediato a imensa popularidade do rival iPod. A Microsoft afirmou que planeja investir significativamente no Zune ao longo dos próximos anos, e o tocador deve se tornar mais competitivo.

O Zune custa 249 dólares, mesmo preço do iPod vídeo, mas se diferencia pelo rádiode FM embutido e pelo recurso de comunicação sem fio.

*Elizabeth Montalbano é ediotra do IDG News Service, em Nova York.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail