Home > Notícias

Associações de TV e cinema no Japão fazem novo protesto contra YouTube

Organizações de direitos autorais exigem que site assuma a responsabilidade por excluir vídeos e registre IP de usuários

Por Martyn Williams, para o IDG Now!*

05/12/2006 às 11h03

Foto:

Organizações de direitos autorais exigem que site assuma a responsabilidade por excluir vídeos e registre IP de usuários

Um grande número de companhias e associações cobrindo a maioria da indústria de entretenimento está intimando o YouTube a ser mais ativo em policiar materiais protegidos por direitos autorais.

Em um documento enviado nesta segunda-feira (05/11) ao chief executive office do YouTube Chad Hurley e o chief technology officer Steve Chen, o grupo exigiu que o YouTube começasse a identificar e remover de maneira mais eficiente material sob direitos autorais ao invés dos executivos se responsabilizarem.

"Levando em consideração a atual importância do seu serviço, acreditamos que sua companhia não deva esperar para que detentores de copyright tomem medidas, mas sim assumir a responsabilidade de prevenção infrações de direitos autorais como vídeos ilegais distribuídos", afirma o documento, distribuído para a imprensa pela Sociedade Japonesa de Direitos de Autores, Compositores e Editores.

O documento é assinado pelo grupo e mais 22 organizações, incluindo a Associação do Japão, ligado ao Motion Pictures Producers, a Associação de Vídeo do Japão, a Associação Japonesa de Animação, todos os principais canais de TV do país, a RIAA japonesa e o Yahoo do Japão.

O protesto vem um mês e meio após o YouTube ter deletado quase 30 mil vídeos baseados em outro documento divulgado pela organização, que alegou que os arquivos em questão infringiam os direitos de 23 companhias japonesas de conteúdo. Nem o protesto nem a ação do YouTube impediram usuários de continuar a enviar vídeos da TV japonesa ao site.

"Estamos seriamente preocupados pela situação atual em que as medidas do YouTube não estão funcionando bem graças ao grande volume de vídeos ilegais", disse a carta.

"Enquanto esperamos que o site haja imediatamente para tomar medidas adequadas e necessárias para prevenir infração de direitos autorais no YouTube, pedimos que os responsáveis se responsabilizem para prevenir a publicação de trabalhos audio-visuais, cujos direitos não pertencem nem aos usuário que os enviaram nem licenciadas pelos detentores", afirma.

As medidas preventivas exigidas pelo grupo incluem a publicação de uma mensagem em japonês na página inicial do YouTube alertando que a publicação de material sob copyright é ilegal; que transgressores sejam punidos conforme a lei; e o registro de nomes e IPs de usuários que tenham publicados vídeos ilegalmente desde junho de 2006.

O grupo também exige uma resposta do YouTube em documento até o dia 15 de dezembro.

*Martyn Williams é editor do IDG News Service, em Tóquio

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail