Home > Notícias

Apple rebate estudo sobre queda abrupta nas vendas do iTunes

Em raro anúncio oficial, empresa diz que estudo da Forrester é impreciso e que iTunes mantém crescimento nos EUA e no Reino Unido

Por Jonny Evans, para o IDG Now!*

13/12/2006 às 16h54

Foto:

Em raro anúncio oficial, empresa diz que estudo da Forrester é impreciso e que iTunes mantém crescimento nos EUA e no Reino Unido

A Apple quebrou seu silêncio usual para negar alegações de que as vendas do iTunes estão caindo vertiginosamente.

"A conclusão de que as versão do iTunes estão caindo é simplesmente incorreta", revelou a Apple em um anúncio na manhã desta quarta-feira (13/12).

A Apple responde à notícia divulgada pelo analista da Forrester Research, Josh Bernoff, nesta terça-feira, que concluiu uma queda abrupta nas vendas do iTunes.

Como não tinha informações precisas sobre as vendas no iTunes, Bernoff se baseou em análises proprietárias de 2 mil transações com cartões de crédito - um estudo focado nos Estados Unidos que ignora vendas do iTunes na Europa, Oriente Médio e Austrália.

A análise de Bernoff também ignora o iTunes Gift Cards, cartões de músicas e outras maneiras pelas quais fãs podem comprar músicas do serviço.

As alegações de Bernoff, publicadas apenas algumas semanas após a Microsoft lançar seu player Zune, forçaram a Apple a divulgar um incomum anúncio oficial.

A negação da companhia observa que "a Apple está liderando a revolução da música digital com quase 70 milhões de iPod venvidos e cerca de 1,5 bilhão de músicas compradas da loja iTunes Store.

As vendas do iTunes representam quase 6% de todas as músicas vendidas nos Estados Unidos, tornando o iTunes a quarta maior vendedora de música no país", destacou a empresa.

Longe de estar fora do setor, a companhia está se segurando em diversos mercado, explica a Apple. "No Reino Unidos, nossa participação de mercado é de cerca de 80% do mercado de download legal de música segundo a Official Charts Company".

As análises de Bernoff também são contrárias a um relatório divulgado pela Akamai, que explica que mais de 500 mil usuários online visitam o site de música por minuto nos mundo, principalmente a partir do iTunes, em períodos de grande procura.

O mercado de música online deverá crescer sete vezes até 2010, com receitas dos downloads de músicas e de assinaturas ultrapassando as vendas de CD pela web já em 2007, de acordo com a In-Stat Research.

*Jonny Evans é editor do MacWorld, em Londres.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail