Home > Notícias

Google lança novo sistema para busca de patentes registradas nos EUA

Google Patents usa algoritmo do buscador para que inventores vasculhem arquivos do Departamento de Registros atrás de invenções

Por Nancy Gohring, para o IDG Now!*

14/12/2006 às 14h57

Foto:

Google Patents usa algoritmo do buscador para que inventores vasculhem arquivos do Departamento de Registros atrás de invenções

Se você já sonhou ingenuamente com uma nova invenção e pensou se outro alguém já tinha feito, o novo sistema de busca de patentes do Google é para você.

O novo Google Patents permite que qualquer um busca patentes registrados nos Estados Unidos por palavra-chave, inventor ou data de entrada. Usuários podem ver imagens digitalizadas do patente original e dar zoom nas páginas.

A página principal reproduz cinco patentes randômicas a cada visita.

O Departamento de Patentes e Registros dos Estados Unidos (da sigla, USPTO) já permite que qualquer um busque seu site atrás de patentes, mas o Google está oferecendo algumas vantagens.

"Os sites existentes têm patentes que você pode ver que a informação está lá. O problema é encontrá-la e é aí que a experiência do Google entra", afirma Mike Overy, secretário para a Mesa Redonda de Inventores Wessex, clube de inventores na Inglaterra.

O Google que, como sua aplicação de busca online, a busca de patentes usa um número de diferentes sinais para determinar o quão relevante cada patente é para a busca do usuário e então forma os resultados algoriticamente.

O USPTO não é o único órgão de patentes a oferecer uma função de busca online para documentos.

O Departamento Europeu de Patentes também tem seu serviço, cobrindo patentes de países da União Européia, Estados Unidos, Canadá e outros. Overy acredita que o banco de dados é bom, mas não amigável para usuários.

A descoberta de patentes já existentes é crucial para inventores, cujos rendimentos a partir de uma invenção pode ser severamente diminuídos por uma patente já existente, afirma.

Enquanto a nova função do Google pode facilitar o que é encarado como um trabalho tedioso, talvez não consiga resolver o problema, disse ele. Uma questão inerente em novas invenções é nomeá-las.

"Se você inventou o que acha ser o primeiro gadget do tipo e tentar encontrá-lo num sistema de busca, não deverá encontrar muita coisa já que o outro inventor pode ter chamado o aparelho de algo diferente", disse ele.

A busca de patentes do Google cobre cerca de 7 milhões de patentes.

O banco de dados não inclui patentes registrados nos últimos meses, mas o buscador "pretende expandir sua cobertura no futuro", acolhendo inclusive patentes de diferentes países que os EUA, de acordo com o próprio site.

*Nancy Gohring é editora do IDG News Service, em Dublin.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail