Home > Notícias

As 10 maiores mancadas das empresas de tecnologia e internet em 2006

Não dá para passar o ano sem fiascos e mancadas. E elas foram muitas. Selecionamos as 10 principais de 2006. Veja a lista

Por Redação do Computerworld

15/12/2006 às 12h06

Foto:

Não dá para passar o ano sem fiascos e mancadas. E elas foram muitas. Selecionamos as 10 principais de 2006. Veja a lista

fogos1Final de ano sempre desperta um espírito de reflexão, análise sobre as atitudes feitas ao longo dos doze meses e considerações para que se possa aprender com aquilo que não teve um resultado tão bom quanto o esperado.

Dezembro também é um mês de festas e alegrias, principalmente quando se põe lado a lado as idéias mais esdrúxulas do mercado, como as que veremos abaixo, na lista dos 10 principais fiascos corporativos do setor de TI em 2006.

10- Air Google
O primeiro fato da lista de tecnologia da informação – acredite – voa. O “Air Google” é o Boing 767 da companhia e neste ano alguns detalhes histéricos sobre o design do avião vêm a tona via processo, inclusive por causa de uma disputa entre os fundadores para saber quem ficaria com a cama “king size” do avião.

9- ESPN Móvel
A emissora de TV norte-americana investiu pesado para que a comercialização do telefone celular ESPN fosse um estouro. Mas o barulho não chegou nem perto de bombinha de São João. O aparelho e o serviço eram caros e os clientes não adquiriram os serviços. Em setembro, a Disney planejou ter 240 mil usuários, mas o número chegou apenas a 30 mil.

8- E-mail bomba
A companhia Radio Shack colocou uma nova lei na corporação para demitir 400 funcionários via e-mail, um uso bastante rígido da tecnologia que levou a empresa ao oitavo lugar na lista de fiascos corporativos de 2006.

7- Aluguel de aparelho
A empresa de telecomunicações pagou a uma mulher a quantia de 14,66 mil dólares depois de 42 anos por alugar dois telefones rotativos. A AT&T permitiu aos clientes optar por esse modelo em 1985, mas aparentemente não parece adequado deixar a idosa continuar pagando.

6- Pesquise pela AOL
A America Online demitiu seu CTO (Chief Technology Officer) como resultado da controversa liberação de resultados de pesquisas. Ao todo, a AOL abriu mais de 20 milhões de buscas de 650 mil assinantes. O pesquisador e o gerente do projeto de pesquisa também acabaram demitidos.

5- Patches “repatcheados” da Microsoft
Em um comportamento típico de quem quer ser um fiasco corporativo, a Microsoft pareceu irresistivelmente interessada em fazer seus patches receberem patches. As ações de, com perdão do neologismo, “repatchear” aconteceram em updates para o Windows 2000, para o Internet Explorer e para a atualização de segurança MS06-015.

++++

4- Sony e suas baterias perigosas
fogos3A Sony entrou em fogo cruzado quando foi revelado que suas baterias para laptops, antes usadas para dar energia ao aparelho, também podiam ser usadas para transformar os notebooks em flamejantes retângulos de morte. Um total de 8,1 milhões de baterias tiveram de sofrer um recall de fabricantes, que usaram as baterias mortais usadas em aparelhos da Dell, Apple, Toshiba, Fujitsu, Hitachi e outros.

3- Laptops abandonados
Parece que ninguém foi capaz de manter seus laptops perto de si em 2006 – e os fiascos corporativos foram incapazes, também, de pensar em alguma solução de criptografia. Seja na rede de café Starbucks, no Departamento Comercial dos Estados Unidos ou ainda no Departamento de Assuntos dos Veteranos, evitar perdas de computadores pessoais caríssimos não foi possível de ser contornado.

2- Executando em excesso
Levante-se e aplauda todos os executivos do segmento de TI mal comportados em 2006. O antigo CEO da CA, Sanjay Kumar, alegou culpa na acusação de fraude e foi sentenciado a 12 anos de prisão. Já o ex-CEO da Savvis, Robert McCormick, se demitiu no final do ano passado ao vir a público a história de que ele pagou uma conta de 241 mil dólares num clube de topless.

Com o surgimento de investigações ligadas às ações da McAfee, foi demitido o até então presidente da Kevin Weiss, enquanto o Chairman e CEO George Samenuk se demitiu. E, no maior de todos esses fiascos, Bernard Ebbers foi condenado a 25 anos de prisão pelo papel que desempenhou no escândalo contável de 11 bilhões de dólares da WorldCom.

1- Escândalo no board da HP
Não dá para discutir. O “top-fiasco corporativo de TI do ano” é a investigação da HP sobre os seus conselheiros executivos. Para descobrir quem estava vazando as informações para a imprensa, funcionários da diretoria da HP usaram táticas de espionagem para gravar conversas de telefone com jornalistas. Quando toda a sórdida história foi revelada, a chairman da HP, Patricia Dunn, se demitiu.

Além disso, o antigo conselheiro legal da empresa, Kevin Hunsaker, e três investigadores particulares vão enfrentar acusações de crimes. E a HP contratou um novo alto executivo para cuidar do "setor" de "ética e compliance" como resposta.

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail