Home > Notícias

Laptop de US$ 100 entra em produção em massa entre agosto e setembro

OLPC pretende concluir a terceira versão do equipamento no início de abril, finalizando os últimos ajustes de engenharia

Por China Martens, para o IDG Now!*

04/01/2007 às 11h13

Foto:

OLPC pretende concluir a terceira versão do equipamento no início de abril, finalizando os últimos ajustes de engenharia

A organização One Laptop Per Child (OLPC) pretende iniciar a produção em massa dos seus notebooks de baixo custo para nações em desenvolvimento entre agosto e setembro deste ano. No final de 2005, quando o projeto foi lançado, o objetivo era começar a produção em larga escala no final de 2006.

A OLPC pretende concluir a terceira versão do equipamento no início de abril, finalizando os últimos ajustes de engenharia, disse Christopher Blizzard, líder do time de software da OLPC na Red Hat, em uma entrevista na quarta-feira (03/01).

Atualmente, o laptop está em sua primeira versão, com a segunda programada para o final de janeiro. Os equipamentos estão sendo fabricados pela taiwanesa Quanta Computer.

Até o momento, a OLPC entregou algumas centenas de laptops para os governos de países em todo o mundo - incluindo o Brasil - e planeja incrementar os números, chegando à casa de alguns milhares nos próximos meses, disse Blizzard.

No ano passado, algumas das nações interessadas inicialmente no projeto desistiram do laptop de baixo custo, entre elas a Índia e Tailândia. Além do Brasil, a lista de países ainda comprometidos com o projeto inclui Argentina, Líbia, Nigéria, Ruanda e Uruguai, segundo Blizzard. China e Egito também estão fora da lista.

A própria OLPC prefere ganhar experiência antes de levar o projeto a países com populações gigantescas, como China e Índia. A organização continua a conversar com outros países do Oriente Médio e da África para incorporá-los ao projeto.

Por enquanto, a OLPC está estritamente focada em nações em desenvolvimento e não tem planos de oferecer o laptop em países desenvolvidos.

No final de 2005, parecia que o estado de Massachusetts, nos Estados Unidos, poderia ser incorporado à iniciativa, mas isso está fora dos planos no momento.

“É um esforço humanitário”, disse Blizzard. A expectativa é que equipar as crianças com seus próprios laptops vai ajudar a melhorar significativamente o nível de educação nas nações em desenvolvimento e encorajar as crianças a aprender tanto dentro como fora das escolas.

Embora o projeto inicial fosse de que os laptops custassem 100 dólares cada, mas atualmente eles saem por 150 dólares. Quando a produção chegar aos milhões em 2008, a organização espera que o preço do laptop caia dramaticamente.

Desde o protótipo até a versão final, o laptop apareceu em uma série de cores, de laranja a amarelo, até o verde final. As diferentes cores foram usadas para marcar as diferentes fases do projeto, segundo Blizzard, e os países poderão decidir depois que cores vão querer para seus laptops. A principal preocupação é deixar os laptops o mais identificáveis possível para evitar roubos e revenda.

*China Martens é editor do IDG News Service, em Boston.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail