Home > Notícias

Hackers matarão DRM de HD-DVD e Blu-Ray, afirmam pesquisadores

Universidade de Princenton afirma que BackupHDDVD, divulgado em dezembro, é início "da derrota do DRM" em discos HD-DVD

Por Robert McMillan, para o IDG Now!*

09/01/2007 às 12h25

Foto:

Universidade de Princenton afirma que BackupHDDVD, divulgado em dezembro, é início "da derrota do DRM" em discos HD-DVD

O recente lançamento de software que pode ser usado para quebrar a encriptação de filmes em HD-DVD e Blu-Ray é o primeiro passo para tornar a tecnologia usada por tocadores de nova geração obsoleta, afirmaram pesquisadores da Universidade de Princeton nesta segunda-feira (08/01).

No último mês, um hacker chamado de Muslix64 divulgou um software que poderia ser usado para decriptar filmes protegidos pela tecnologia de DRM AACS, suportada por grandes estúdios de Hollywood e fabricantes de tocadores.

Apresentado em abril de 2005, o AACS é um sistema de proteção de cópia para filmes em HD-DVD e Blu-Ray que tem suporte da Microsoft, Matsushita, Sony, Toshiba, Walt Disney e Warner.

O software BackupHDDVD, oferecido por Muslix64, não quebra o AACS, mas torna mais fácil que entusiastas decriptem os filmes, disse Alex Halderman, estudante de ciência da computação em Princeton que, junto ao pesquisador Ed Felten, está chamando o software de "primeiro passo para a derrota do AACS".

Aparelhos com AACS usam técnicas de criptografia para ler códigos numéricos, chamados 'chaves', de filmes em discos. Estas chaves são então usadas para destravar conteúdo digital, tornando o vídeo legível para o player.

O software de Muslix64 não dá ao usuário uma maneira de descobrir estas chaves, mas oferece um jeito de organizar o conteúdo uma vez que a chave seja descoberta.

"Este é o campo antes a batalha será travada", analisa Halderman. "Eles ainda não têm munição, mas esta é a arma".

O AACS funciona melhor que o sistema de encriptação CSS usado para proteger DVDs de cópias não autorizadas. O CSS foi quebrado em 1999 após ser divulgado por três hackers, incluindo um norueguês então com 16 anos chamado de Jon Johansen.

Johansen viria a ser conhecido como DVD Jon por seu feito e seria preso pela polícia dinamarquesa até 2003.

Ao contrário do CSS, no entanto, o sistema AACS dá às companhias uma maneira de "resetar as chaves" - mudar novos filmes para que as chaves não possam ser lidas em players que já tenham sido hackeados.

O sistema dá a Hollywood uma maneira de proteger novos lançamentos, mas apenas funciona se hackers publicarem seu trabalho e revelarem qual player foi quebrado. E, mesmo com as novas chaves, nada pode ser feito para prevenir discos cujas chaves já tenham sido reveladas desprotegidas, disse Halderman.

"O que o futuro parece para nós é que alguns indivíduos sempre terão hacks que não serão publicados, o que prejudicará Hollywood", disse ele. "Outras pessoas terão cracks que serão publicados, e que funcionará com todos os discos antigos".

O cenário pode não ser tão ruim para estúdios de cinema, caso consigam evitar a distribuição ilegal de seus produtos e segurar a divulgação de filmes que ainda estão nos cinemas, disse Mike McGuire, analista do Gartner.

"Se eles conseguem manter a atual janela de lançamento entre o cinema e o DVD, então é provável que os estúdios se sintam confortáveis", afirma.

Ainda assim, Halderman acredita que é apenas uma questão de tempo antes que as chaves usadas no BackupHDDVD se tornem públicas e Hollywood terá que enfrentar cópia de material protegido pelo sistema AACS. "Não existe dúvida que as chaves se tornarão disponível em algum ponto do futuro", revelou.

*Robert McMillan é editor do IDG News Service, em São Francisco

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail