Home > Notícias

Celular de menos de US$ 20 chega ao mercado ainda em 2007, prevê TI

Texas Instruments prevê ainda que terminais com câmera e música digital cairão a 35 dólares até o final do ano

Por Dan Nystedt, para o IDG Now!*

10/01/2007 às 11h01

Foto:

Texas Instruments prevê ainda que terminais com câmera e música digital cairão a 35 dólares até o final do ano

A Texas Instruments  (TI) está desenvolvendo uma série de chips para celulares de baixo custo voltados a países em desenvolvimento, e prevê preços abaixo de 20 dólares para telefones mais básicos e 35 dólares para aparelhos com  GPRS (General Packet Radio Service), câmera e tocador de música digital até o final deste ano.

A empresa tem um papel vital na determinação de preços dos aparelhos já que é a maior fabricante do mundo da parte mais cara do celular, o chip.

“Quando as pessoas nos países em desenvolvimento querem trocar de telefone, elas estão dispostas a pagar mais por mais recursos. Elas querem mais”, disse Avner Goren, diretor de marketing para sistemas celulares na Texas Instruments, em uma entrevista ao IDG News Service durante o International Consumer Electronics Show (CES) 2007.

Hoje, um aparelho GSM básico, com tela monocromática, custa 25 dólares para produzir, disse Goren. Os aparelhos são vendidos pelas operadoras nos mercados emergentes com subsídios, que permitem faturar posteriormente com serviços.

Adicionar memória ao aparelho aumenta em 10 dólares a 20 dólares o custo, mas o ao fazer isso as empresas podem oferecer aparelhos GPRS, que permitem a navegação na web, a possibilidade de enviar fotos a outros usuários, entre outros recursos.

Atualmente, o preço deste tipo de aparelho já está em 40 dólares, disse Goren. A Associação GSM teve um papel fundamental nesse processo, encorajando as empresas a se voltarem ao mundo em desenvolvimento. Há dois anos, a associação organizou um concurso para a produção de um modelo por menos de 30 dólares, que a Motorola ganhou, recebendo pedidos de 6 milhões de unidades de 10 operadoras, como parte do concurso.

Estes aparelhos tem fomentado um crescimento expressivo do mercado em países como Índia e China, que têm mais de 5 milhões cada de adesões de novos usuários por mês.

Além da Locosto, linha de chips de baixo custo para os mercados emergentes, a TI oferece a Ecosto, série de chips para aparelhos de baixo custo, mas com amplas funcionaliddades que utilizam o EDGE (Enhanced Data GSM Environment), versão mais veloz do serviço GSM que permite transmitir dados a 384 Kbps. Aparelhos com estes chips devem custar entre 50 dólares e 100 dólares, disse Goren, com câmera de 2 a 3 megapixel, música digital de alta qualidade, browser para web e jogos.

Os terminais de terceira geração (3G) devem ser mais caros, na faixa de 100 a 150 dólares até o final do ano, prevê Goren. A projeção é diferente da feita pela Ericsson, que acredita que conseguirá oferecer um aparelho 3G de 70 dólares até o final do ano, graças a chips mais baratos e menos componentes dentro do aparelho.

*Dan Nystedt é editor do IDG News Service, em Taipé.

Tags

Junte-se a nós e receba nossas melhores histórias de tecnologia. Newsletter por e-mail Newsletter por e-mail